Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-03-2010

    SECÇÃO: Destaque


    HISTÓRIA DE UM PROCESSO DE INTERESSE PÚBLICO NA ZONA HISTÓRICA DE ERMESINDE

    A requalificação urbana da Rua Rodrigues de Freitas

    Esta requalificação, realizada no decurso do ano de 2009, tão esperada há anos, por ser a rua mais longa e uma das de maior frequência automobilística em Ermesinde segue-se à melhoria da zona histórica de Portocarreiro, com a criação de um jardim público em 2002 e a pavimentação da Travessa Portocarreiro em 2006.

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    É por esta rua que se processa o forte trânsito automobilístico, vindo do Alto da Maia (Águas Santas), da Avenida João de Deus e da Estação de Ermesinde, em direcção à Gandra, através da Travessa e Rua de Portocarreiro.

    Esta zona de Portocarreiro – que até já deu o nome a uma das paragens de autocarros dos STCP na Rua Rodrigues de Freitas – é uma das mais antigas de Ermesinde, de grande importância na época, muito anterior à paralela construção do caminho-de-ferro, de Ermesinde a Contumil e à Linha de Leixões.

    Era por ela que passavam os carros de bois (o transporte pesado de então) ou de cavalos, vindos de Valongo, através das limítrofes Rua e Travessa de Ermesinde, em direcção ao burgo do Porto. E ainda hoje é o grande escoamento de trânsito, do cruzamento da Rua Rodrigues de Freitas para a imensa e populosa [antiga] localidade da Gandra.

    ORIGEM DESTA

    RUA RODRIGUES DE FREITAS

    Toma o nome do republicano assumido José Joaquim Rodrigues de Freitas (1840-1896), professor e jornalista, deputado e economista, embora com o curso de Engenharia, que nunca exerceu. Figura de enorme prestígio na cidade do Porto, no séc. XIX, como humanista e pensador.

    Esta rua, aberta desde as Saibreiras (Ermesinde), passando paralela à Travessa de Ermesinde e por baixo do caminho-de-ferro de Ermesinde a Contumil, na denominada “Ponte Capitão”, vai ao largo da Estação de Ermesinde e segue pela via da Igreja, através do túnel da antiga Junta de Freguesia de Ermesinde, até à Rua de Elias Garcia, que se limita entre a Avenida D. Afonso Henriques e a Travagem.

    A melhoria desta rua consistiu na colocação de guias de passeio em granito, execução de novos revestimentos de passeios e repavimentação da faixa de rodagem com valorização da iluminação pública até ao largo da Estação.

    Nesta rua, com a importância de ter o Centro Social de Ermesinde, n.º 2200, do qual depende “A Voz de Ermesinde”, com a redacção no n.º 620, 2º Esq., existe uma falha de placas toponímicas, como em muitas outras localidades. Devia ser “Rua Rodrigues de Freitas” (1840-1896) – humanista e pensador» – sugestão para que a Junta de Freguesia de Ermesinde alargasse [a informação inscrita] a outras ruas com o nome de personalidades.

    Foi por ela que transitaram os carros eléctricos, transferidos das ruas Portocarreiro e Eng. Armando Magalhães à Estação, e os “tróleis”, substituídos pelos autocarros.

    MELHORAMENTO

    DO SOCALCO

    foto

    Em frente ao gaveto da Rua Rodrigues de Freitas com a Travessa de Portocarreiro localiza-se um problemático socalco ao longo da Travessa de Ermesinde até à passagem de nível, com constante derrube de terra e pedregulhos, a [fazer] suportar custos da limpeza camarária.

    Desde há anos que a Câmara Municipal de Valongo orçamentou a construção deste muro, precisamente em 1987, sendo desviado o dinheiro de 3 500 contos (moeda antiga) para outras obras mais urgentes, mas o problema continuou, com o risco de poder [fazer] ruir o poste eléctrico de alta-tensão, colocado neste socalco.

    Ainda bem, [que ] com a requalificação da Rua Rodrigues de Freitas se procedeu à construção do tão falado muro, acrescido dum utilíssimo gradeamento, no começo da Travessa de Ermesinde, até para resguardo do estacionamento de carros.

    INSTALAÇÃO

    SEMAFÓRICA

    No gaveto da Rua Rodrigues de Freitas com a Travessa de Portocarreiro, por haver grande afluência de trânsito motorizado, há frequentes choques automobilísticos, por não se respeitar o sinal de STOP. E, apesar de já se ter procedido à colocação de redutores de velocidade, à saída da Academia de Ensino Particular, [tal] não é o suficiente para se evitar esta falta de atenção.

    Agora é fácil de se instalar uma sinalização intermitente, à semelhança do que acontece na Avenida D. Afonso Henriques, no gaveto para Ardegães (Águas Santas), visto a base eléctrica já estar pronta no solo, nas margens dos passeios. Salvo se ainda estiverem à espera das obras de alargamento do caminho-de-ferro de Ermesinde a Contumil, por causa da eliminação da passagem de nível na Travessa de Ermesinde.

    CONCLUSÃO

    Valeu a pena a requalificação da Rua Rodrigues de Freitas – uma das mais compridas, senão a mais comprida de Ermesinde –, como uma das entradas de maior afluência de trânsito, ao longo do caminho-de-ferro, aquém e além da Estação, a atravessar o centro de Ermesinde.

    Por: Luís Gouveia (*)

    (*) Antigo membro da Assembleia de Freguesia de Ermesinde (1993-1997).

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.