Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-01-2010

    SECÇÃO: Destaque


    REUNIÃO DA JUNTA DE FREGUESIA DE ERMESINDE

    Cidadãos, intervenham!

    A reunião pública mensal da Junta de Freguesia de Ermesinde, que todas as primeiras quartas-feiras de cada mês se realiza, à noite, na sede da Junta, teve, desta vez – no passado dia 6 de Janeiro – precisamente como maior motivo de interesse, a intervenção do público, que sinalizou diversas situações, todas elas a merecer atenção por parte dos diversos órgãos autárquicos envolvidos.

    Abordaram-se questões relativas ao transporte público, à circulação viária, ao parqueamento automóvel, à recolha de lixos, e a recentes decisões relativas a logradouros públicos.

    No fim, foi a própria Junta, em uníssono, que saudou a participação do público e incentivou os munícipes a intervir.

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Ainda antes da palavra ser dada ao público, Luís Ramalho iniciou a reunião com um período breve de informações, sobre os moradores da Rua P.e Américo que tinham solicitado a intervenção da Junta aquando das recentes inundações por altura do Natal, sobre a homenagem promovida pela Ágorarte ao jornal “A Voz de Ermesinde” pelo seu trabalho em prol do desenvolvimento associativo, e sobre o agradecimento público da Junta aos seus funcionários, aos funcionários da Câmara e aos Bombeiros de Ermesinde, pelo seu trabalho sacrificado em prol da comunidade aquando da intempérie da noite de 21 de Dezembro.

    Prestadas estas informações tomaram a palavra vários elementos do público, como o senhor Adão Barros, sobre situações de vandalismo nos tanques de Sonhos, do senhor Joaquim Freitas, sobre a degradação do serviço da STCP aos moradores da zona dos Montes da Costa, do senhor José Carvalho sobre a mesma situação, que ameaça tornar ainda mais precária a oferta do transporte público às horas e nos locais em que seria mais preciso.

    Ainda do senhor António Bento, sobre várias situações prejudiciais a uma boa circulação, de pessoas e viaturas, na zona da Bela, e dos senhores José Fernando e José Martins, que abordaram vários assuntos, alguns deles, inclusive, transitados do mandato anterior da Junta de Freguesia de Ermesinde.

    José Fernando manifestou a sua indignação pelo corte de árvores previsto para o largo da antiga feira, e denunciou a continuação das situações de lixo acumulado na passagem desnivelada junto do antigo edifício sede da Junta de Freguesia de Ermesinde.

    Mais extensa e abrangente ainda foi a intervenção de José Martins, que manifestou de igual modo a sua indignação pelo abate de árvores no referido largo.

    Lembrou depois várias situações antigas – ausência de placas toponímicas num deteminado troço da Rodrigues de Freitas, estacionamento indevido em larga escala no troço que deveria ser pedonal da 5 de Outubro, permanência da situação perigosa com a passadeira mal assinalada na Elias Garcia, tudo isto situações que se vêm arrastando no tempo. E denunciou ainda a colocação de parqueamento pago mesmo ao lado (20/30 cm) de algumas passadeiras, quando tal infringe de forma flagrante as disposições legais, que interditam o estacionamento a menos de 5 metros.

    AS RESPOSTAS

    DE LUÍS RAMALHO

    foto
    O presidente da Junta, Luís Ramalho, comprometeu--se a ir a Sonhos inteirar-se melhor da siuação, a pedir uma reunião com a STCP, não só por causa da carreira 705 (que serve os Montes da Costa), mas também por causa da 703, para Sonhos). Luís Ramalho defendeu que era exequível que esta carreira subisse até ao bairro camarário.

    Referiu ainda o isolamento da população de Sampaio, igualmente mal servida de transporte público.

    Comprometeu-se também que seria a própria Junta a executar a varredura manual de areia e pedras que se acumularam no meio de uma zona da Bela (entroncamento da Rua Augusto Soromenho com a Rua Nova da Boavista).

    O presidente da Junta justificou depois as condições que o levavam a defender o abate dalgumas árvores, cujas raízes, demasiado saídas, impedem, por exemplo, a circulação de cadeiras--de-rodas ou carrinhos de bebé, além de prejudicarem os diversos serviços do Centro Social de Ermesinde. Luís Ramalho adiantou também que a decisão do abate foi unânime na Junta.

    Além do mais, havendo um interesse público nos serviços prestados pelo Centro Social de Ermesinde , será necessário encontrar uma solução para assegurar estacionamento, mas a Junta não tem recursos para fazer um parque subterrâneo, pelo que a solução será alargar a via em redor do largo para criar lugares de estacionamento. A decisão não foi tomada de ânimo leve, garantiu ainda Luís Ramalho, que juntou ainda o facto de que uma das árvores, neste momento, constitui perigo para uma das casas, outras duas serem razão de transtorno para os moradores, e haver o compromisso de que um número idêntico de árvores da mesma espécie ter que ser recolocado, para além de outros casos em que a recolocação já estivesse prevista. Finalmente, e como último argumento, Luís Ramalho referiu ainda a actual dificuldade de acesso dos bombeiros (e recorde-se no que Centro Social funcionam quer infantário e creche, quer o lar de idosos).

    Quanto a outros assuntos, Luís Ramalho ficou também de saber se está previsto um projecto de requalificação do canteiro da passagem subterrânea da Rodrigues de Freitas, comprometeu-se a pedir as placas toponímicas em falta e admitiu a necessidade de uma maior intervenção policial na 5 de Outubro, de modo a fazer respeitar a zona pedonal.

    ORDEM DO DIA

    Aprovada a acta da reunião anterior, foram assuntos então decididos por unanimidade: contratação de um assistente técnico para a área administrativa, marcação de data de reunião e constituição da comissão de atribuição de subsídios, constituição da comisssão de análise das contrapartidas a assegurar nos protocolos de colaboração com a Câmara Municipal, constituição da comissão para apresentação da proposta de orçamento (visando torná-lo o mais participado possível), definição das empresas a contemplar na publicação da Junta e que, nesta primeira edição foi feita combase num critério considerado impreciso, mas sem haver alternativa.

    Foram também abertas as propostas para as intervenções no edifício da Junta, sendo que aquelas referentes à correcção de deficiências não foram consideradas, dado o empreiteiro da obra ter assumido a responsabilidade por aquelas.

    Foi também aprovado um pequeno aditamento ao Regulamento do Cemitério.

    INTERVENÇÃO DOS

    MEMBROS DA JUNTA

    No final, todos os elementos da Junta usaram da palavra. Diva Ribeiro salientou o facto da Junta de Freguesia de Ermesinde ser constituída por uma maioria de mulheres.

    Os membros da Junta e, sobretudo Luís Ramalho, agradeceram a intervenção do público, incentivando as suas achegas, críticas e vigilância sobre o trabalho da própria Junta de Freguesia.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.