Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-11-2009

    SECÇÃO: Destaque


    MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO 2009

    Guerrilha no palco do Fórum

    O que aqui temos é luta encarniçada, um acto de guerrilha de gender hackers, propício a semear a inquietação no público que acorreu a mais este espectáculo da Mostra, no passado sábado, dia 21.

    Patrizia de Lorenzo e Natalia Outeiro investem-se por inteiro nestas personagens que semeiam a confusão sobre a silhueta de cada sexo, misturando limites e características, desnormalizando laboriosamente do primeiro ao último dos 100 minutos da peça.

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    O projecto de “Testosterona” é enunciado com clareza, no seu programa : «Uma obra que questiona a divisão normativa da sociedade em dois sexos e levanta a possibilidade de um género de código aberto, copyleft, modificável e flexível. Ciência hormonas, leis, armários, tecnologia, educação, natureza, indústria, cultura, capital, rock’n’roll, política..., tudo se conjuga para articular esa peculiar ditadura de género que nos domina (...)».

    E “Testosterona” é um exercício de desmistificação dessa norma, recorrendo à música, ao humor, à interactividade.

    Afinal, são actores ou actrizes? Ou outra coisa? “Actorizos”, por exemplo?, Sabe-se lá!

    No princípio há dois músicos e uma banda rock, reivindica-se a herança de La Polla Records e glorifica-se o poder do falo.

    Há até o esboço de umas tentativas másculas de sedução dirigidas às garinas presentes na sala, no meio dos espectadores.

    Até que tudo começa a desmoronar-se como um castelo de cartas e já não se sabe quem é quem. E depois, de revelação em revelação contam-se histórias sobre pessoas aprisionadas nos armários, com identidades impostas desde a infância, com dificuldade até à emancipação. Graças à testosterona? Talvez sim, talvez não, pelo menos não enquanto afirmação do que não é, hormona da masculinidade, explicam. E dão o exemplo das divisões à nascença. Menino ou menina? E porque não pessoas gordas e pessoas fracas, conforme o peso de nascimento, como propõem Patricia e Natalia? O que não sabemos é se, por exemplo, Fran, a personagem, é uma terceira pessoa.

    foto

    FICHA TÉCNICA

    “TESTOSTERONA” – “Espectáculo genérico”.

    Criação: Patrícia de Lorenzo, Natalia Outeiro e Xesús Ron.

    Cenografia e adereços: Carlos Alonso.

    Música: Xacobe Martinez Antelo. Som: Xurxo Pinheiro.

    Desenho de luz: Fidel Vásquez.

    Caracterização: Fanny Bello.

    Videos: Patricia Falci. Fotografia: Ana Pintos.

    Produção: Juancho Gianzo.

    Distribuição: Adriana Tubío.

    Comunicação: Elena Valiño

    Desenho gráfico: Fausto Isorna.

    Co-produção do Grupo Chévere e a sala NASA, co-financiada pela Agência Galega das Indústrias Culturais - Junta da Galicia e Concelho de Santiago -

    Departamento de Cultura, dentro do programa de implantação de Companhias Residentes.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.