Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 28-02-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-05-2009

    SECÇÃO: Destaque


    CENTRO SOCIAL DE ERMESINDE – UM RETRATO DO QUE É HOJE

    O tempo das pétalas a abrir...

    Valências cruciais e referência do Centro Social de Ermesinde, a Creche e o Jardim de Infância marcam a vida das crianças numa fase que pode ter repercussões para uma vida inteira.

    Muito consciente dessa responsabilidade está Teresa Braga Lino, a sua coordenadora, que “ A Voz de Ermesinde” entrevistou numa recente visita à Instituição, em que teve a oportunidade de percorrer as salas onde decorriam as actividades com as crianças das diversas idades. Uma impressão óbvia da visita é a evidente felicidade com que as vemos, acompanhadas de perto pelos técnicos, a entregar-se às várias actividades lúdicas e educativas e a interargir com as outras crianças à sua volta. Não admira o prestígio crescente que o Centro Social vai adquirindo!

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Fomos ouvir Teresa Braga Lino, a directora-técnica da Creche e Jardim de Infância do Centro Social de Ermesinde (CSE), no seu lugar de trabalho. E ela acompanhou-nos depois na visita às salas. Durante a conversa abordámos ainda outros assuntos que foram vindo à baila, como a participação na Operação Tampinhas, um projecto levado a cabo com a colaboração da Lipor, que enviou para o CSE material referente, falámos dos projectos de colaboração, a nível de estágios, com a Escola Secundária de Ermesinde (uma meia-dúzia de estagiárias de lá provenientes estiveram na instituição), falámos do sucesso da sala dos bebés, com várias dezenas em lista de espera.

    E do mais que se segue.

    “A Voz de Ermesinde” (AVE): Há quanto tempo foram criadas a creche o jardim de infância do CSE e qual a sua dimensão actual?

    Teresa Braga Lino (TBL): As valências Creche e Jardim de Infância do Centro Social de Ermesinde começaram a funcionar em Dezembro de 1981, com o primeiro protocolo celebrado entre a Instituição e o Centro Distrital de Segurança Social. As instalações que albergam estas valências foram construídas de raiz, sendo integralmente preparadas e equipadas para o trabalho a que se destinavam – o apoio a crianças entre os 3 meses e os seis anos de idade.

    Tendo arrancado com um universo de 75 crianças nas duas valências, actualmente presta um serviço a um total de 184 crianças, sendo 40 delas em idade de creche e 144 em jardim de infância. Têm como missão promover a solidariedade e bem-estar social.

    A valência creche é composta por três salas, estando as crianças agrupadas de acordo com a sua faixa etária. Na valência de jardim de infância existem duas salas para crianças com 3 anos, duas salas para crianças com 4 anos e duas salas destinadas a crianças com 5 anos.

    AVE: Como é constituída a equipa responsável pela creche e jardim de infância?

    TBL: Para garantir um apoio capaz das crianças que nos são confiadas, a Instituição possui nestas valências, uma equipa de pessoal docente e não docente com qualificação para as funções desempenhadas, num total de 9 educadoras e 16 ajudantes de acção educativa, distribuídas equitativamente pelas nove salas existentes. A equipa é orientada por uma coordenadora que garante a supervisão de todas as actividades, assegurando o contacto com todos os pais, encarregados de educação e público exterior interessado em conhecer e colaborar com a Instituição, nomeadamente através da realização de estágios ou outro tipo de actividades e projectos que garantam a melhoria do serviço prestado e o enriquecimento curricular das partes envolvidas.

    foto
    AVE: Como se articula a actividade com as orientações da Direcção do CSE?

    A função de coordenação assegura igualmente a ligação entre a equipa pedagógica e a Direcção, através do elemento responsável por este pelouro.

    AVE: Como funcionam diariamente as valências, qual é o seu horário?

    TBL: De forma a assegurar um serviço de qualidade e que responda às reais necessidades da população, a creche e o jardim de infância têm funcionamento diário ininterrupto de 12 horas, entre as 7h30 e as 19h30.

    AVE: Fale-nos dos cuidados com a alimentação e de outros cuidados diários.

    TBL: A alimentação e higiene são dois pilares fundamentais no nosso dia a dia.

    Dispomos de equipas distintas de trabalhadores que asseguram cuidadosamente estes serviços. A nível alimentar são elaboradas semanalmente ementas de acordo com a faixa etária das crianças, de forma equilibrada e saudável. Prestamos uma alimentação variada, indo sempre de encontro aos interesses das crianças e às solicitações dos pais, e tendo sempre presentes todas as regras básicas de higiene e segurança alimentar.

    A higiene, a nível de equipamentos, é assegurada por uma equipa de trabalhadores empenhados que cumprem de uma forma regular e contínua, ao longo do dia, a manutenção dos espaços. Também é de referir que ao nível das salas são assegurados todos os procedimentos de higiene e segurança pela equipa responsável.

    O acesso à sala dos bebés é mesmo restrito unicamente aos trabalhadores da referida sala.

    AVE: Qual tem sido a resposta e “julgamento” por parte da comunidade?

    TBL: A prestação de um serviço de elevada qualidade aos utentes e seus familiares, bem como a permanente busca da excelência, tem permitido o reconhecimento da comunidade envolvente, não sendo imodéstia considerar mesmo que a Instituição é já uma referência local na prestação deste tipo de serviço.

    foto
    AVE: E como é que se estende esse serviço aos familiares?

    TBL: Com uma orientação clara para os utentes (crianças), busca-se a participação activa dos pais e encarregados de educação na formação das crianças, através do fortalecimento progressivo dos laços com o Centro, apelando à crescente participação daqueles nas actividades diárias em sala.

    AVE: Com que apoios exteriores contam a creche e o jardim de infância?

    TBL: A nível do suporte financeiro das actividades, ambas as valências – creche e jardim – são apoiadas pelo Centro Distrital de Segurança Social, havendo ainda, para o jardim de infância, o apoio financeiro do Ministério da Educação.

    AVE: De que forma a equipa técnica se envolve com as crianças?

    TBL: Tentando sempre que os grupos de crianças sejam acompanhados ao longo da sua passagem por estas valências, sempre pela mesma equipa pedagógica. É dada igual importância ao envolvimento diário com todos os outros profissionais, bem como com as restantes valências da Instituição. E desenvolvendo da melhor forma possível o nosso trabalho em função das condições de que dispomos. Estamos, em permanência, atentos a todas as oportunidades que nos possam surgir para que aquele trabalho possa ser melhorado. Não apenas através de condições físicas, mas também ao nível da formação de todos os elementos que connosco trabalham.

    AVE: Como é que se vão formando os técnicos e se tem melhorado a qualidade do serviço?

    TBL: Para além da formação a que todos os trabalhadores têm acesso, estamos, neste momento, na fase final do processo de certificação de qualidade, processo esse que, apesar de muito exigente em esforço e dedicação, vem criando melhores e mais sólidas bases para o nosso desenvolvimento futuro.

    foto
    Por mais exigentes que sejam os desafios que nos são apresentados, fruto de uma equipa coesa e com grande determinação, a capacidade de encontrar soluções é diariamente melhorada, crescendo em rapidez de decisão e eficácia.

    AVE: Que projectos têm actualmente em curso a creche e o jardim de infância?

    TBL: Com vista à melhoria da formação das nossas crianças e procurando dar resposta às necessidades das Famílias, estamos a desenvolver um plano de actividades extra-curriculares, que esperamos poder pôr em prática a curto prazo. Estas poderão mesmo vir a direccionar-se, não só para as nossas crianças, como também para os pais e encarregados de educação. Esperamos, desta forma, enriquecer e estreitar a relação entre todos. Outro tipo de projectos encontra-se em estudo, em resultado da nossa própria avaliação e do interesse manifestado pelo nosso público-alvo – crianças e pais.

    AVE: E só mais uma palavra final...

    TBL: Por fim, acho que nunca será demais realçar a referência anteriormente feita à equipa de excelentes profissionais de que dispomos e que, na sua esmagadora maioria, são mesmo os responsáveis pelo nível de qualidade já alcançado e pelas constantes manifestações de incentivo que continuamos a receber.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.