Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-04-2009

    SECÇÃO: Tecnologias


    Servidor Samba: o que é (1)

    O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows. Assim, é possível usar o Linux como servidor de arquivos, servidor de impressão, entre outros, como se a rede utilizasse servidores Windows (NT, 2000, XP, Server 2003). Este artigo faz uma abordagem introdutória ao Samba, mostrando as suas principais características e um pouco da sua história.

    Breve história do Samba

    foto
    O Samba é uma criação de Andrew Tridgell. De acordo com informações dadas no site oficial do software, Tridgell precisava de montar um espaço em disco no seu PC para um servidor Unix. Esse PC corria o sistema operativo DOS e, inicialmente, foi utilizado o sistema de arquivos NFS (Network File System) para o acesso. Porém, uma aplicação precisava de suporte ao protocolo NetBIOS (não suportado pelo NFS). A solução encontrada por Tridgell não foi tão simples: ele escreveu um sniffer (pequeno programa para captura de tráfego de dados em rede) que permitisse analisar o tráfego de dados gerado pelo protocolo NetBIOS, fez engenharia reversa no protocolo SMB (Server Message Block) e implementou-o no Unix. Isso fez com que o servidor Unix aparecesse como um servidor de arquivos Windows no seu PC com DOS.

    Esse código foi disponibilizado publicamente por Tridgell em 1992. Porém, tempos depois, o projecto foi posto de lado até que um determinado dia Tridgell decidiu conectar o PC da sua esposa ao seu computador com Linux. Porém, não encontrou nenhum meio melhor que o seu código para fazer isso e assim o utilizou.

    Através de contactos feitos por e-mail, Tridgell descobriu que as documentações dos protocolos SMB e NetBIOS estavam actualizadas e assim voltou a dedicar-se ao projecto. Porém, uma empresa entrou em contacto com ele reivindicando os direitos sobre o nome usado no software até então. Diante disso, Andrew Tridgell teve a ideia de procurar num dicionário uma palavra que tivesse as letras s, m e b (de SMB) e acabou encontrando o termo "samba". A partir daí o projecto Samba cresceu e hoje Andrew Tridgell conta com uma excelente equipa de programadores e com milhares de utilizadores da sua solução espalhados pelo mundo.

    O que é que

    o servidor Samba faz

    Com o servidor Samba, é possível compartilhar arquivos, compartilhar impressoras e controlar o acesso a determinados recursos de rede com igual ou maior eficiência que servidores baseados em sistemas operativos da Microsoft. Mas, neste caso, o sistema operativo utilizado é o Linux.

    O Samba é compatível com praticamente qualquer versão do Windows, como NT 4.0, 9x, Me, 2000, XP e Server 2003, além de máquinas com o Linux, é claro.

    Todo o trabalho feito pelo Samba é provido de grande segurança, uma vez que há grande rigor nos controlos dos recursos oferecidos. Tanto é que existem empresas que usam o Samba como solução para conflitos existentes entre diferentes versões do Windows.

    Como não poderia deixar de ser, o Samba também permite que a sua configuração seja feita por meio de computadores remotos. Para os casos mais críticos, o administrador da rede pode até ser notificado de anormalidades por e-mail (para isso é necessário usar um script específico que busca informações nos arquivos de log e cria um arquivo que pode ser enviado via e-mail).

    Instalando

    o Samba

    O Samba é um software livre que está disponível sob a licença GNU (GNU's not Unix). Muitas distribuições Linux já o incluem, mas caso queira instalá-lo, é possível baixá-lo de seu site oficial www.samba.org. Neste, é possível notar que há pacotes específicos para as distribuições mais famosas, como Fedora, Mandriva, SuSE, Debian, entre outras. Isso significa que a instalação depende do tipo de pacote utilizado (tar.gz, rpm, deb, entre outros). Assim, como exemplo, os utilizadores do Debian devem usar o seguinte comando:

    apt-get install samba smbclient smbfs

    Se o pacote do Samba estiver no formato tar.gz basta digitar (depois de baixado):

    # tar -zxvf samba-a.b.c.tar.gz

    (onde a, b e c correspondem ao número da versão).

    Em seguida, basta entrar no directório source e digitar:

    ./configure --prefix=/usr/local/samba

    Por fim, digite:

    # make

    # make install

    O arquivo

    smb.conf

    Um facto que agrada a muitos utilizadores do Samba é que a sua configuração é feita num único arquivo: o smb.conf. Esse arquivo geralmente fica localizado no directório de instalação do Samba.

    O arquivo smb.conf é estruturado da seguinte maneira: os parâmetros de configuração são agrupados em secções. Cada secção é identificada por um nome entre colchetes, por exemplo, [global]. A seguir, segue a descrição de três exemplos de secções pré-definidas no Samba:

    [global] - como o nome indica, contém configurações que afectam todo o Samba. Por exemplo, nome do servidor;

    [homes] - contém as configurações do directório home para cada utulizador;

    [printers] - contém as configurações que controlam impressoras compartilhadas.

    Por: Emerson Alecrim*

    * http://www.infowester.com

     

    Outras Notícias

    · A memória do rato

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.