Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-03-2009

    SECÇÃO: Destaque


    Uma cara lavada para a Ribeira da Gandra

    No processo de despoluição do rio Leça chegou agora a vez da ribeira da Gandra, o seu troço mais problemático. As obras vão começar.

    Foto URSULA ZANGGER
    Foto URSULA ZANGGER
    Teve lugar na passada sexta-feira, dia 13 de Março, na Casa do Povo de Ermesinde, uma sessão de informação promovida pela Câmara Municipal de Valongo (CMV), a propósito da intervenção a começar já no corrente mês, no troço da bacia do Leça correspondente à ribeira da Gandra, o maior foco poluidor do rio no concelho.

    Para apresentar o projecto aos munícipes e esclarecer as suas dúvidas, estiveram, além do presidente Fernando Melo, os vereadores Mário Duarte e José Luís Pinto e ainda o técnico da CMV Vítor Sá.

    Atravessando a populosa zona da Gandra, em grande parte mesmo por baixo dos edifícios existentes, a referida ribeira, que se encontra entubada, recebe destes prédios grande parte das descargas que contribuem para a poluição do rio.

    A obra de requalificação, prevista na sequência da iniciativa da Câmara Municipal de Valongo “Corrente Rio Leça” – em parceria com um conjunto alargado de entidades – será também acompanhada, aproveitando a altura para minorar incómodos aos moradores, que mesmo assim serão inevitáveis – da requalificação da Praceta 1º de Maio, na qual além de um novo ajardinamento e aplanagem do terreno, será implantado um elemento religiosa com a imagem de Maria, o que parece corresponder a solicitação dos munícipes locais.

    As obras de requalificação da ribeira, cujo curso será desviado para o recolocar sob as vias públicas, tornando mais fácil eventual intervenção posterior, abrangerá numa primeira fase as ruas de Bissau e de Lourenço Marques e a referida Praceta 1º de Maio.

    Para um contacto mais directo com os moradores ficou instalado na Praceta um monobloco onde estes se podem dirigir para informações, queixas e sugestões.

    Dado o facto de previsivelmente o parqueamento automóvel ir sofrer grandes perturbações, foi anunciado que a CMV tinha acordado com a Refer a possibilidade de os moradores recorrerem ao parque de estacionamento da Refer junto à estação ferroviária, para poderem aparcar as suas viaturas sem qualquer encargo.

    Dado esta sessão de informação ter decorrido praticamente em cima do fecho desta edição de “A Voz de Ermesinde”, tencionamos voltar ao assunto na próxima edição.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.