Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-10-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-04-2008

    SECÇÃO: Tecnologias


    Usando o VNC (1)

    O VNC é uma das aplicações de acesso remoto mais antigas e ainda assim ainda uma das mais usadas. Não é tão segura quanto o SSH, nem oferece um sistema de compressão tão eficiente quanto o RDP, mas oferece a vantagem de ser fácil de usar e de estar disponível para praticamente todas as plataformas. É tão flexível que pode ser usada até mesmo a partir do navegador. Existem inúmeros tutoriais sobre o VNC na web, mas a maior parte deles são textos antigos; este tutorial se diferencia deles por ser mais aprofundado e actualizado, abordando as versões actuais.

    Existem versões do VNC para Linux, Windows, MacOS, Solaris, BeOS, Amiga e até mesmo para palmtops com o Windows Mobile ou com o Palm OS. Ele pode ser usado tanto para ter acesso a PCs ligados numa rede local, quanto via Internet.

    O VNC divide-se em dois módulos: o módulo servidor e o módulo cliente. O módulo servidor deve ser instalado no PC que ficará acessível, bastando usar o módulo cliente para teracesso a partir de qualquer outro. O mais interessante é que os módulos são intercompatíveis, ou seja, você pode ter acesso a uma máquina correndo Linux a partir de outra que corre Windows, ou mesmo ter acesso a ambas a partir de um Pocket PC com rede wireless.

    O programa exibe uma janela com o mesmo conteúdo da área de trabalho do PC que está a ser acedido, permitindo que você o utilize como se estivesse de frente para ele. Isso é perfeito para quem trabalha com suporte, pois basta pedir para o utilizador abrir o programa, em vez de ficar perguntando pelo telefone, o que torna o atendimento bem mais rápido:

    A versão original do VNC foi desenvolvida pela AT&T e substituiu rapidamente programas de acesso remoto como o PCAnywhere e o LapLink, que eram bastante usados na década de 1990. Esta versão não é mais desenvolvida, mas a licença open-source permitiu que surgissem versões aprimoradas, que incorporam recursos adicionais.

    As duas mais usadas são o TightVNC e o Real VNC (http://www.realvnc.com). Apesar de possuir mais recursos, incluindo uma funções de chat e transferência de arquivos, o Real VNC é um aplicativo comercial, que está disponível apenas para Windows. O TightVNC, por sua vez, é inteiramente aberto e gratuito e possui versões para Windows e Linux, disponíveis no http://www.tightvnc.com/.

    Em relação ao VNC original, o TightVNC oferece um algoritmo de compressão mais eficiente. Ele garante tempos de actualização de ecrã mais baixos (às custas de um pouco mais de processamento no cliente) e também suporte à compressão via JPG, que degrada a qualidade da imagem, em troca de uma redução considerável na banda utilizada, permitindo executar o VNC de forma aceitável mesmo numa conexão via modem.

    O TightVNC também oferece algumas melhorias secundárias, como o suporte a scroll de ecrã usando a roda do rato e processamento local do cursor do rato.

    Como comentei, existem também clientes VNC para palmtops e smartphones, um dos mais usados é o Mocha VNC, disponível no http://www.mochasoft.dk/.

    NO WINDOWS

    Assim como em outros programas de acesso remoto, o VNC é dividido em dois componentes, o TightVNC Server, que é o servidor propriamente dito e o TightVNC Viewer, que é o cliente. O viewer é um aplicativo extremamente simples, que (na versão Windows) possui apenas 240 KB.

    No Windows, você pode baixar os arquivos directamente em http://www.tightvnc.com/download.html. Além da versão "completa", que inclui o instalador, você pode também baixar um arquivo .zip contendo apenas os executáveis, que podem ser executados directamente, sem precisar instalar.

    Embora não seja obrigatório, é recomendável instalar também o "DFMirage mirror display driver" (disponível no final da página de download) no PC com o TightVNC Server. Ele é um driver open-source que torna as actualizações de ecrã bem mais ágeis, evitando que o VNC precise actualizar toda a janela para detectar uma mudança no seu conteúdo.

    Para activar o compartilhamento, clique no "Launch TightVNC Server", dentro da pasta VNC do menu iniciar. Forneça uma senha de acesso e mantenha o programa residente.

    Dentro da configuração, marque a opção "Remove desktop wallpaper". Como o VNC trabalha enviando screenshots do ecrã, o uso de uma imagem pesada como wallpaper reduz drasticamente o desempenho. Essa opção faz com que o wallpaper seja desactivado automaticamente durante as sessões do VNC:

    O VNC for windows suporta o uso de uma única conexão compartilhada. Ou seja, ele simplesmente compartilha o ecrã local, fazendo com que você veja exactamente a mesma imagem que está a ser exibida no monitor. Se houver alguém na frente do PC enquanto você o acessa via VNC, vai ver o rastro do rato a mover-se sozinho.

    Apesar de ser uma desvantagem em muitas situações (já que o mesmo PC Windows não pode ser acessado por várias pessoas simultaneamente), o facto de usar uma sessão compartilhada oferece duas vantagens:

    a) Você vê exactamente o mesmo ecrã que a pessoa na frente do PC está vendo, o que é interessante para quem presta suporte remoto.

    b) A sessão não é finalizada quando você desconecta. Se você se conectar novamente noutro micro, ela vai ser aberta da mesma forma como você a deixou. Isso é interessante para quem quer ter um segundo micro com o Windows e acessá-lo via rede.

    É possível também usar sessões compartilhadas no VNC, onde o mesmo ecrã é visto por todos. Esta opção pode ser útil para ministrar treinamentos e tirar dúvidas remotamente, já que todos os conectados verão o que você está fazendo. Para isso, active a opção "Connection priority > Automatic shared sessions" dentro da aba "Administration" na configuração do servidor VNC:

    A opção "Enable built-in HTTP server" dentro do mesmo menu activa o applet Java que permite que os clientes se conectem usando o navegador. O applet usa a porta 5900 TCP, de forma que o endereço para acessar o servidor usando o navegador é "http://ip-do-servidor:5800", como em "http://192.168.1.2:5800".

    A applet Java é uma opção prática para usar em emergências, o problema é que ele é bastante lento. No dia-a-dia você vai preferir usar o cliente nativo do VNC, que além do melhor desempenho, oferece um bom conjunto de opções. Para se conectar, use o endereço IP, nome ou domínio do servidor, seguido pelo número de ecrã (que no caso do VNC Windows é sempre :0), como em "192.168.1.2:0":

    «A conexão é protegida apenas pela senha de acesso definida no servidor, por isso é importante não usar senhas óbvias. A segurança não é exactamente o forte do VNC: a senha é encriptada usando um algoritmo fraco e os dados da sessão são transmitidos através da rede sem encriptação. Ao acessar através de redes inseguras, é recomendável usar uma opção de acesso mais segura, como o SSH.

    Por: CARLOS MORIMOTO *

    * Texto extraído de http://www.guiadohardware.net/

     

    Outras Notícias

    · A memória do rato

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.