Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2023
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-12-2022

    SECÇÃO: Literatura


    foto
    LER É O MELHOR REMÉDIO (4)

    “A Invenção de Morel”

    Curiosamente, encontrava-me de férias com amigos numa ilha quando um deles me veio propor a leitura de “A Invenção de Morel”. O livro é da autoria de Adolfo Bioy Casares, escritor argentino do século XX e vencedor do Prémio Cervantes em 1990. Ao lado de vultos como Gabriel García-Márquez, Juan Rulfo, Carlos Fuentes, entre outros, é um dos principais rostos do realismo mágico da literatura sul-americana. Aliás, é um dos autores da “Antologia da Literatura Fantástica”, em conjunto com a sua esposa Silvina Ocampo (igualmente escritora) e Jorge Luís Borges, que assina também o prefácio do presente livro e no qual se pode ler “discuti com o seu autor os pormenores do enredo, reli-o; não me parece uma imprecisão ou uma hipérbole classificá-lo como perfeito”.

    foto
    O livro é o diário de um fugitivo venezuelano condenado a prisão perpétua, cujo nome desconhecemos. Por intermédio de um comerciante de tapetes italiano, toma conhecimento da existência de uma ilha aparentemente desabitada e vê nela a única hipótese de escapar à terrível sentença. Assim, embarca numa viagem precária até à ilha, que quase lhe custa a vida. Lá, os únicos vestígios de civilização que encontra são um museu, uma piscina e uma capela. Os primeiros tempos são marcados pelo reconhecimento do território, receio da perseguição e esforços para garantir a subsistência. No entanto, certo dia, é acordado de madrugada por música e gritos. Nisto, vê no topo da colina da ilha veraneantes de excêntricos costumes a cantar, dançar e nadar na piscina abandonada e imunda. Esta aparição inexplicável leva o nosso fugitivo a admitir hipóteses rebuscadas, como tratar-se de uma operação encenada pela polícia com o intuito de o capturar, ou a atribuir efeitos alucinogénios às raízes de que se alimentava, mas acaba por concluir que “são homens verdadeiros, pelo menos tão verdadeiros como eu próprio”. Cauteloso,

    (...)

    leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,00 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

    Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 12,00 euros.

    Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

    Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

    Para críticas e sugestões:

    tavaresedu077@gmail.com.

    Por: Eduardo Tavares

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.