Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-11-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-10-2022

    SECÇÃO: Património


    foto
    ACONTECEU N’A VOZ DE ERMESINDE (8)

    Feira-Mercado de Ermesinde

    Em ano de requalificação da Feira-mercado e área envolvente em Ermesinde, damos nota de um pouco da história do mercado de Ermesinde, as suas origens e localizações. Partimos para esta nota, do artigo publicado n’A Voz de Ermesinde, intitulado “A Feira de Ermesinde”, não assinado, no mês de outubro de 1964, n.º 82, páginas 2 e 4.

    A Feira de Ermesinde foi criada em setembro de 1927, por António da Silva Moreira (Canório), António Ferreira Bastos, Serafim Marques de Sousa e os seus colaboradores. Esta foi recebida com grande entusiasmo por parte da população ermesindense, porque se tratava de uma melhoria necessária à evolução do comércio. O plano das Festas de Inauguração da Feira-Mercado foi descrito na monografia de Manuel Augusto Dias e Manuel Conceição Pereira e decorreu entre os dias 11 e 12 de setembro de 1927, um domingo e segunda-feira. A inauguração contou com concertos, arraiais, entregas de prémios… Sendo uma das suas notas mais curiosas, no dia 12, “Ao romper do dia – uma estrondosa salva de 21 tiros fará acordar os mais dorminhocos ermesindenses, anunciando a continuação dos festejos e a inauguração da feira-mercado que se realizará neste dia” (Éco de Ermesinde, n.º 13, 1/09/1927, p. 2 in DIAS, PEREIRA, 2001a, 160). Compreendendo-se, deste modo, a importância que assumiram as comemorações e o contexto de festa em que foram recebidas.

    Cerca de 30 anos depois, em 1957, as donas de casa residentes na zona de Ermesinde compreenderam que era necessária a criação de uma feira mais alargada, tendo sido deliberada em reunião da Junta de Freguesia de Ermesinde, na sessão de 17 de novembro de 1957, a criação de uma feira franca às sextas-feiras que fosse “graciosa para os vendedores e comerciantes” (DIAS, PEREIRA, 2001a, 161). O sucesso que esta feira alcançou deverá ter sido maior que o esperado porque, apenas dois meses depois, a Junta de Freguesia estipulou que a feira deveria deixar de ser franca e se começasse a cobrar taxa de ocupação de lugar, a partir de 19 de janeiro de 1958 (Idem).

    Planta topográfica da Nova Feira-Mercado de Ermesinde (1964) – A Voz de Ermesinde
    Planta topográfica da Nova Feira-Mercado de Ermesinde (1964) – A Voz de Ermesinde
    Esta feira ocorreu, inicialmente, no Largo António da Silva Moreira, apelidado, carinhosamente, pelos ermesindenses de Largo da Feira Velha ou, simplesmente, como Feira Velha. Em 1964, esta feira abastecia não só toda a população da Vila, que rondava os 15 mil habitantes, mas também as localidades limítrofes. O que levava a uma necessidade de aumento, que foi noticiada pel’A Voz de Ermesinde.

    Quando atentamos nas primeiras linhas do artigo de 1964, ainda na primeira frase, temos nota de que “A Feira de Ermesinde, hoje considerada uma das mais concorridas dos arredores do Porto” (AVE, 1964, n.º 82, 2) necessitava de espaço, uma vez que “O seu desenvolvimento tem-se acentuado de ano para ano.”. A Feira-Mercado de Ermesinde já era tão concorrida que se havia tornado bissemanal, como atualmente a reconhecemos.

    O artigo d’A Voz de Ermesinde dá-nos nota de que desde 1927 já tinham sido realizadas melhorias neste espaço, como a criação de uma bomba de água, sanitários, canalização… Contudo, o piso irregular e lamacento tornava-se prejudicial tanto para os feirantes, como para os compradores em dias de chuva. Além de imperar a necessidade de obras de pavimentação, faltava espaço para a colocação de expositores, placas e com o aumento demográfico da vila tornavam-se essenciais novos espaços para os feirantes.

    A Junta de Freguesia de Ermesinde, ao corrente das necessidades da população, decidiu não só melhorar o terreno na feira já existente, como aumentá-la, fazendo parte a nova planta da feira de Ermesinde, da edição d’A Voz de Ermesinde, que aqui reproduzimos.

    O projeto aprovado no ano de 1964 abarcava duas fases de obra. A primeira, relacionada com a pavimentação e colocação de placas para exposição de artigos, dentro desta fase inicial, planeou-se criar uma zona coberta destinada a barracas e lojas que realizavam a venda diária ao público, voltada para a Rua Miguel Bombarda. A segunda fase consistiu na ampliação do recinto para norte do existente, passando a feira-mercado a abranger uma área de 9.100 metros quadrados, mais 4.100 metros quadrados do que os iniciais. Sendo este aumento realizado para a parte da Rua Júlio Diniz.

    Lápide de homenagem aos fundadores da Feira-Mercado de Ermesinde, Largo António da Silva Moreira – Google Maps
    Lápide de homenagem aos fundadores da Feira-Mercado de Ermesinde, Largo António da Silva Moreira – Google Maps
    Esta ampliação e remodelação contou com uma comemoração, onde foi descerrada uma lápide, que atualmente se encontra no Largo António da Silva Moreira, pela neta do Presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, Maria Aurora Martins Pereira, neta de um dos fundadores da feira-mercado de Ermesinde.

    A lápide, da qual incluímos uma reprodução no nosso artigo, diz-nos:

    (...)

    leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,00 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

    Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 12,00 euros.

    Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

    Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

    Bibliografia:

    - A Voz de Ermesinde, outubro de 1964, nº 82

    - DIAS, Manuel Augusto. PEREIRA, Manuel Conceição (2001a). Ermesinde – Registos Monográficos. Vol. 1. Ermesinde: Câmara Municipal de Valongo. ISBN: 972-97958-3-5

    Por: Mariana Filipa Lemos

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.