Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2019
Jornal Online

SECÇÃO: Saúde


foto
UMA QUESTÃO DE SAÚDE

Proteção solar: o que devemos saber?

Com a chegada do Verão, são muitas as pessoas que passam os seus tempos livres a aproveitar o sol em diferentes contextos. Seja na praia, numa piscina ou no pátio de casa, a exposição ao sol aumenta nesta altura do ano, pelo que se torna ainda mais importante falar sobre fotoproteção (proteção face à luz solar).

Em primeiro lugar, quero começar por dizer que a proteção solar deve ser uma preocupação presente durante todo o ano! Nas mais pequenas atividades do dia-a-dia, há sempre alguma exposição a raios solares … mesmo no Inverno, graças ao ótimo clima que temos no nosso país, em que há sol praticamente o ano inteiro.

Depois é importante compreender que fotoproteção não é só sinónimo de uso de protetor solar. Há várias atitudes que devem ser tomadas, diariamente, para estarmos mais protegidos do sol.

MAS, AFINAL, PORQUE É QUE É TÃO IMPORTANTE A FOTOPROTEÇÃO?

A radiação solar é composta pela radiação ultravioleta B ou “radiação UVB” e pela radiação ultravioleta A ou “radiação UVA”. A exposição da pele às radiações pode provocar queimaduras solares, causadas principalmente pela radiação UVB, sendo esta a principal responsável pela ocorrência de cancro da pele. A radiação UVA está mais relacionada com o envelhecimento prematuro da pele. Assim, é fácil perceber que, apesar do sol ter inúmeros benefícios, é fundamental que a exposição ao mesmo seja controlada para não haver consequências nefastas na nossa saúde.

E ENTÃO COMO NOS PODEMOS PROTEGER?

Aqui ficam algumas dicas gerais:

• A exposição solar direta deve ser evitada entre as 12 e as 16 horas. No caso de crianças e pessoas de pele mais clara, idealmente entre as 11 e as 17 horas;

• Crianças até aos 2 anos não devem ser expostas diretamente ao sol. Devem usar vestuário que cubra a maior extensão possível de pele, sem esquecer o chapéu de abas largas;

• A exposição ao sol deve ser feita de forma gradual e progressiva;

• Devemos usar vestuário adequado, incluindo sempre chapéu e óculos de sol;

• A medicação que estamos a tomar deve ser tida em conta, uma vez que alguns medicamentos de uso comum (antibióticos, anti-hipertensores, anti-inflamatórios, etc.), podem ser fotossensibilizantes (deixam a pele mais sensível à radiação solar);

• A radiação ultra violeta “vem de todos os lados”, ou seja, mesmo debaixo de um guarda-sol estamos expostos ao equivalente a 30% da radiação direta, pelo que também nos devemos proteger nestas situações;

• O uso de um protetor solar adequado e a sua utilização correta são fundamentais para uma boa fotoproteção;

• É importante não descurar todas as medidas de proteção em dias mais nublados…as radiações estão presentes e podem causar danos da mesma forma;

• Devemos também ter cuidado com o adormecer ao sol, já que é uma causa frequente de queimaduras, por vezes graves.

foto

COMO SE ESCOLHE O MELHOR PROTETOR SOLAR?

Quando vamos comprar um protetor solar, geralmente, a única informação que procuramos é o fator de proteção. Mas será que sabemos o que isso significa? Na verdade o “fator de proteção solar” (SPF) diz respeito à relação entre a dose mínima de radiação UVB que causa eritema (vermelhão) na pele protegida e a dose mínima de radiação UVB que causa o eritema na mesma pele quando desprotegida. Assim, quanto mais elevado o fator de proteção, maior será a proteção em relação à radiação UVB. Erroneamente, muitas vezes pensamos que este valor está relacionado com o tempo que podemos estar expostos ao sol sem repor o protetor, mas tal relação não existe.

Apesar do fator de proteção solar se referir apenas à proteção contra a radiação UVB, devemos preferir os protetores solares que também contêm proteção para UVA, uma vez que a radiação UVA também tem um papel no desenvolvimento de neoplasias da pele e causa o envelhecimento precoce da mesma.

A eficácia de cada protetor solar deve ser indicada no rótulo, sendo categorizada em: «baixa» (SPF 6 e 10), «média» (SPF 15, 20 e 25), «elevada» (SPF 30 e 50) e «muito elevada» (SPF 50+). Preferencialmente, devemos escolher um protetor solar com eficácia elevada ou muito elevada.

E COMO SE UTILIZA UM PROTETOR SOLAR CORRETAMENTE?

• Os protetores solares devem ser aplicados 15 a 30 minutos antes da exposição solar;

• Não nos podemos esquecer de proteger os lábios, orelhas e o dorso das mãos, locais onde com frequência surgem lesões pré-malignas e malignas;

• A aplicação deve ser repetidaa cada 2 horas e após as idas ao banho…ser resistente à água não significa ser à prova de água! Esta frequência é ainda mais importante no caso das crianças que muitas vezes passam longos períodos dentro de água.

Este Verão lembre-se destes conselhos e aproveite o sol de uma forma mais consciente e segura!

Bibliografia

- Sociedade Portuguesa de Dermatologia

- AmericanCancerSociety

- Relatório “Protetores Solares”. Laboratório Infarmed. 2018.

Por: Telma Lopes*

*Médica Interna de Medicina Geral e Familiar

 

Outras Notícias

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.