Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-01-2019

    SECÇÃO: Património


    foto

    Acontecimento Insólito em S. Lourenço de Asmes (6.ª parte)

    Quanto ao ensino superior, e no intuito de acabar com o monopólio da Universidade de Coimbra, intenta-se a criação de Escolas do Ensino Superior em Lisboa e no Porto, para além da que já existe em Coimbra. São igualmente criadas duas escolas especiais, a Escola Politécnica de Lisboa e a Academia Politécnica do Porto. Apesar destas iniciativas o ensino não era para todos, sendo o ensino primário gratuito nas famílias era menos umas mãos a trabalhar para o rendimento da família. Mas ao contrário do ensino primário o ensino liceal não era gratuito, (de acordo com a legislação de 1844, pagavam-se 960 réis(1) no acto de matrícula e outro tanto no final do ano letivo), era o ensino dos remediados. Os ricos, viajados e cultos, viviam em palácios, educavam os filhos em colégios ingleses e praticavam desportos chiques. Com toda a probabilidade, terá sido esta a educação do Guilherme e das suas irmãs. Ou então terá estudado num colégio tipo Colégio da Lapa(2),que não era barato. Os pretendentes tinham que proceder de famílias poderosas para poderem suportar as despesas. Pensamos que as famílias cujos filhos foram alunos da Lapa pertenciam à elite burguesa e aristocrática.

    ANÚNCIO DO JORNAL "O COMÉRCIO DO PORTO" DE COLÉGIO ESTRANGEIRO, 1866.
    ANÚNCIO DO JORNAL "O COMÉRCIO DO PORTO" DE COLÉGIO ESTRANGEIRO, 1866.
    Apesar de todo o esforço realizado e das diligências levadas a efeito, apesar de muito limitadas, na tentativa de descobrir qual a sua formação académica, foram infrutíferas. Mas atendendo às condições de que dispunha, com toda a certeza teria uma boa formação, pois para além de pertencer à aristocracia era proprietário e com vastos rendimentos.

    Do que sabemos teve uma formação extra-escolar bastante rica, na arte da cavalaria(3), pois era bastante conhecedor de cavalos e de equipagens, cavaleiro exímio e um picador(4) com muita experiência. Foi Cavaleiro da Casa Real. Tendo extraído de local informativo da internet as seguintes frases de alguém com conhecimento “Os edifícios que confinam com as traseiras [do palacete dos Pereiras Machado]e vão até aos Poveiros, julgo terem sido construídos em terrenos do Palácio. E vem-me à memória que há mais de 50 anos conheci um indivíduo que tratava de um picadeiro(5) ao cimo da Rua de Passos Manuel, e fico-me a interrogar se haveria ligação desse picadeiro com o antigo 2.º Visconde de Pereira Machado”. Mais adiantando que “Nos terrenos para além dos jardins do palácio da Rua Formosa, e que se desenvolviam até à agora Praça dos Poveiros, antes Largo de Santo André, diz-se que teria existido um picadeiro, utilizado pelo 2.º visconde de Pereira Machado. Diga-se como curiosidade, que a Rua Formosa embora já totalmente aberta em 1813 com o objetivo inicial de estabelecer uma ligação da Cancela Velha a Santa Catarina, no local da Viela da Quinta, era mais estrada do que rua, pois havia muito poucas casas, tendo sido um dos projetos de João de Almada e Melo em 1784.”

    (...)

    Leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Agora pode tornar-se assinante da edição digital por 6 euros por ano. Após fazer o pagamento (de acordo com as mesmas modalidades existentes na assinatura do jornal impresso) deverá enviar-nos o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas, por e-mail, as 12 edições em PDF.

    Por: Carlos Marques

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.