Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-12-2018

    SECÇÃO: Património


    foto

    Acontecimento Insólito em S. Lourenço de Asmes (4.ª parte)

    Posteriormente construiria um palacete(1), na Rua Formosa(2), e que viria a tornar-se uma das residências mais requintadas da cidade, célebre pelos sumptuosos bailes e brilhantes festas. Possuidor de uma avultada fortuna, com propriedades no Porto e no Rio de Janeiro, conciliou a gestão dos seus negócios com a prática filantrópica, tornando-se benemérito de diversas instituições. Além de vereador da Câmara Municipal do Porto e um dos mais destacados acionistas do Palácio de Cristal, integrou a direção da Nova Companhia de Utilidade Pública, da Associação Comercial de Beneficência e da Associação Comercial do Porto(3), entre outras.

    PALACETE VISCONDE PEREIRA MACHADO
    PALACETE VISCONDE PEREIRA MACHADO
    Foi ainda fidalgo-cavaleiro(4) da Casa Real(5), moço honorário da Real Câmara, comendador da Ordem de Cristo(6). Em 1861 foi distinguido com o título de Visconde(7), por mercê do Rei D. Pedro V, pelos serviços prestados ao país e pelos seus atos de beneficência, mas curiosamente, um lapso na escrita do diploma inverteu a ordem dos seus apelidos pelo que ficou conhecido pelo epíteto de visconde de trás para diante….

    Pelas quatro horas da madrugada do dia catorze do mês de abril do ano de 1868, faleceu(8), e com a idade de 46 anos, no leito da sua residência, o palacete com o número 125, da Rua Formosa, na cidade do Porto, tendo-lhe sido dado os últimos sacramentos da penitência e eucaristia pelo coadjutor da igreja paroquial de Santo Ildefonso, José Correia Maia. À altura era pessoa muito considerada na cidade do Porto, e que desempenhava as funções de presidente da Associação Comercial de Beneficência, conforme anúncio no mesmo Jornal do Porto, editado na mesma página referida na nota n.º 6. Tendo sido sepultado no cemitério da Lapa, onde tinha mandado construir uma capela onde figura um brasão de armas da família, conforme figura junta. Tendo deixado cinco filhos, não fez testamento.

    ANÚNCIO NO JORNAL DO FALECIMENTO DO 1.º VISCONDE DE PEREIRA MACHADO
    ANÚNCIO NO JORNAL DO FALECIMENTO DO 1.º VISCONDE DE PEREIRA MACHADO

    1) O palacete testemunha uma época de desenvolvimento do Porto, marcada pelo gosto neoclássico e algum ecletismo. A fachada principal, dividida em três panos, é aberta por um conjunto de vãos simétricos, cujos ritmos convergem na secção central, destacando o frontão com o brasão dos Pereira Machado.

    2) Situado no gaveto entre a Rua da Alegria (n.º 39) e a Rua Formosa (n.º 121), e a que foi dado o número 125.

    CERTIDÃO DE ÓBITO DO 1.º VISCONDE PEREIRA MACHADO
    CERTIDÃO DE ÓBITO DO 1.º VISCONDE PEREIRA MACHADO
    3) A Associação Comercial do Porto (ACP) é uma associação constituída e fundada em 1834 na cidade do Porto para assegurar a representação da comunidade de negócios da região a nível nacional e internacional. É igualmente conhecida por Câmara de Comércio e Indústria do Porto. É a mais antiga associação empresarial de Portugal.

    4) Durante algum tempo foram designados por fidalgos com exercício somente aqueles que serviam o soberano no Paço, o que tornou alguns foros de menor qualidade mais apetecíveis, como era o caso de moço fidalgo, que passou até a ter, nestes casos, a designação de moço fidalgo com exercício no Paço. O foro de fidalgo era concedido por mercê régia, chamando-se ao ato “filhamento”.Todos os foros concedidos de novo emanavam do Rei, constituindo uma mercê nova.

    TRAJE DO FIDALGO CAVALEIRO - MUSEU DO TRAJE
    TRAJE DO FIDALGO CAVALEIRO - MUSEU DO TRAJE
    5) “Os Fidalgos Cavaleiros usarão farda direita e comprida, de pano azul ferrete, com talhe militar, formando o corte da gola um ângulo agudo por diante. A gola e canhões escarlate, sendo estes bem como as portinholas, bordados a ouro com um silvado de carvalho cercando as quinas e castelos colocados alternadamente. Colete branco, não havendo luto. Calça azul ferrete agaloada de ouro. Chapéu armado com presilha de ouro, apanhando o laço azul e branco e plumas brancas, não havendo luto. Botões na farda e colete de metal amarelo com as Armas Reais.” - Mordomia Mor da Casa Real, Foros e Ofícios 1755/1910.

    6) Insígnias de Comendador: Fita / Laço: o distintivo da Ordem suspenso de fita vermelha pendente do pescoço, ou de laço, para as senhoras. Placa: placa prateada em raios, tendo ao centro um círculo de esmalte branco carregado da cruz da Ordem, perfilado de ouro e circundado de um festão de louro de ouro. São ainda insígnias do grau de Comendador a miniatura e a roseta, com a cor da Ordem, com galão de prata.

    ANÚNCIO DE CONDOLÊNCIAS EXPRESSAS NO JORNAL DO PORTO
    ANÚNCIO DE CONDOLÊNCIAS EXPRESSAS NO JORNAL DO PORTO
    7) O título foi-lhe concedido por Decreto de 18-09-1861 (D. Luís).

    8) Como podem comprovar ao ler um diário da época, Jornal do Porto, de 15 de Abril de 1868, na página 2, através deste link, http://purl.pt/14338/1/j-822-g_1868-04-15/j-822-g_1868-04-15_item2/j-822-g_1868-04-15_PDF/j-822-g_1868-04-15_PDF_24-C-R0150/j-822- g_1868-04-15_0000_1-4_t24-C-R0150.pdf

    Fim da 4.ª parte,

    (continua).

    Por: Carlos Marques

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.