Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-04-2018
Jornal Online

SECÇÃO: Saúde


foto

O que é a menopausa?

A menopausa é definida por período normal na vida da mulher em que esta deixa de ter menstruação espontaneamente. A menopausa é uma consequência da falência da função ovárica de forma definitiva, expressando-se essencialmente por uma alteração hormonal, com a diminuição da produção de estrogénios. Este é um marco importante na vida biológica da mulher, pois assinala a transição do período reprodutivo (fértil) para o não reprodutivo.

Diagnóstico

O diagnóstico de menopausa é clínico, pois sabe-se que uma mulher se encontra em menopausa após a ausência de menstruação (amenorreia) durante 12 meses, porém a mulher pode menstruar esporadicamente durante este período.

Existem parâmetros hormonais que podem ser avaliados nas análises ao sangue e que podem ajudar a confirmar o diagnóstico de menopausa.

A fase que antecede o período da menopausa, pode-se caracterizar por uma fase de irregularidade da menstruação, esta fase é chamada de climatério e pode prolongar-se por muito ou pouco tempo (2 a 8 anos antes da menopausa). Nesta fase, os ovários vão progressivamente perdendo a sua função.

Habitualmente, a menopausa ocorre entre 45 e os 55 anos. Contudo este período pode variar no tempo, designando-se Menopausa Precoce quando esta ocorre antes dos 40 anos e Menopausa Tardia quando ocorre depois dos 55 anos. Um exemplo de menopausa precoce, é o da mulher que necessitou de se submeter a uma intervenção cirúrgica para remoção do útero e/ou ovários.

Sintomas

A carência hormonal, especificamente de estrogénios, pode provocar alterações físicas e até psicológicas na mulher que podem limitar de certa forma o seu dia-a-dia.

Quanto mais abrupta for a diminuição dos níveis de estrogénios, mais intensos serão os sintomas. Para além da amenorreia (ausência de menstruação) os sintomas vasomotores, conhecidos como "afrontamentos", "calores" ou suores noturnos, são muito frequentes. Estes podem durar segundos a minutos e atingem mais frequentemente a face e o tronco, causando desconforto e ansiedade na mulher. Podem ocorrer outros sintomas como alterações do sono (insónia) e alterações do humor (irritabilidade, humor depressivo).

Outras

manifestações

A longo prazo a carência hormonal pode trazer outras alterações, como alterações da pele (perda de elasticidade e da resistência da pele, aparecimento de rugas), ginecológicas e urinárias (atrofia e secura vaginal, incontinência urinária).

Sabe-se também que após a menopausa, aumenta o risco de aparecimento de demência, de AVC, de doenças cardiovasculares como enfarte agudo do miocárdio e osteoporose.

Opções

Terapêuticas

Existe medicação hormonal, chamada terapêutica hormonal de substituição que ajuda a aliviar os sintomas associados à menopausa. Porém esta medicação deve ser ponderada apenas em casos específicos, durante o tempo mínimo necessário e sempre sob aconselhamento médico. Exemplo de situações especiais em que a terapêutica hormonal de substituição pode estar aconselhada é a menopausa precoce.

Hábitos e estilo de vida saudáveis, que passem pela prática de exercício físico e adoção de uma alimentação saudável, são armas no combate à prevenção e redução dos sintomas da menopausa. Se a menopausa e suas manifestações são temas de preocupação, aconselhe-se com o seu médico de família.

Por: Daniela Medeiros Coelho*

*Médica Interna de Medicina Geral e Familiar, Pós-graduada em Geriatria Clínica

 

Outras Notícias

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.