Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-12-2017
Jornal Online

SECÇÃO: Património


foto

Ainda a palavra "Ermesinde" (12)

Continuamos a cronicar as Ermesendas enumeradas, falemos agora da seguinte, Ermesenda (Munia) Gonçalves da Maia, (ca. 1030), também conhecida por Fraestrada, filha de Gonçalo Trastamires1 da Maia (c.ª995 - faleceu em combate em defesa do castro de Santa Maria de Avioso, na Maia, em 1 de Setembto de 1038), foi 2º Senhor da Maia e um dos conquistadores do Castelo de Montemor-o-Velho em 12 de Novembro de 1034, neta paterna de Trastamiro Aboazar, 1º Senhor da Maia e de Dórdia Soares. Este Gonçalo seu pai casou com Unisco Sesnandes (nasceu em Coimbra, c.ª 1000), os quais tiveram vários filhos, para além desta Ermesenda, tiveram: Mendo Gonçalves da Maia, 3.º Senhor da Maia (m.26 de Novembro 1065), casou com Ledegúndia Soares Tainha, filha de Soeiro Godins, "o da Várzea" e de Ledegúndia Tainha; Toda Gonçalves, que foi a esposa de Paio Gonçalves, descendente do conde Gonçalo Moniz; Gontrodo Gonçalves, que foi a esposa de Honorigo Gonçalves; Flamula Gonçalves da Maia ou Gontinha Gonçalves da Maia, que casou com Egas Gomes de Sousa, senhor de Sousa, de Novella e de Felgueiras.

Segundo a maior parte dos autores2 , Ermesenda casou-se com Nuño "El Cuervo Andaluz" 3 González de Lara, Conde de Lara, Governador de Mena (cª. 1030 - morreu em Rueda, Valhadolide, Castela-Leão, a lutar contra os mouros em 1083) e tiveram filhos, Ordoño Álvarez de Lara e Ximena Muñoz de Lara. A sua vivência e a sua descendência radicaram-se na Galiza, tornando-se uma das famílias importantes.

Quanto à Maia, antigamente Amaia, situada entre os rios Douro e Ave, mais propriamente, "terra" da Maia, tinha dois pontos fortificados, "castros", sendo um deles em Ermesinde4, conforme testemunha A. de Almeida Fernandes, e a sua localização seria nas proximidades da igreja de S. Lourenço de Asmes (Ermesinde), transcrito num doc. de 1287, transcrito no Censual do Cabido do Porto: "sancti Laurentiiprope castellum de Madia". O outro talvez em Avioso ou no Castêlo, e o qual seria a residência desta família. Como sabem, S. Lourenço de Asmes pertencia à Maia, pelo que é natural que aqui tivessem locais para se defenderem. Aqui é o berço5 desta família berço de uma das famílias mais prestigiadas da independência de Portugal.

Conclusão: efectivamente viveu e conviveu com as gentes do Norte de Portugal, mas aquando do seu casamento, que diga-se muito falado e referendado devido à sua origem, de uma das famílias mais nobres da Península Ibérica. Depois que casou nunca mais voltou à terra das suas origens.

foto

1 Lugar de Trastamires (na Vila da Maia, mais propriamente Guilhabréu - povoação antiquíssima - era chamada pelos romanos de PALANTINA. Foi tomada aos mouros pelos portugueses no ano 1000, por D. Gonçalo Trastamires Alboazar).

2 Houve autores que consideraram que esta Ermesenda não casou nem teve filhos.

3 Transcrição do livro Nobleza del Andaluzia, "El Conde donNuñoGonçalez de Lara fuemay cruel contra los Morosy en todas las batallas que conellostuvo, nunca tomóninguno a merced, nienpriion, y por etofuellamado el Cuervo Andaluz, porque llegavacororiendo los Moroshata el Andaluzia."

4 Nesta época, Ermesinde "S. Lourenço de Asmes" pertencia às terras da Maia.

5 As torres/residência, normalmente eram construídos em locais para dominarem os vales, mais do que uma construção militar, eram um símbolo de poder da nobreza senhorial, constituindo um importante exemplo da domusfortis (residência senhorial fortificada) nas regiões. Não testemunhos da sua existência. Normalmente de planta retangular, construída com granito da região.

FORAL DA MAIA
FORAL DA MAIA

Bibliografia

Álvarez, M. R. (1970). La Reina Velasquita, nieta de Muniadomna Diaz? Revista de Guimarães, pp. 197-230.

Brito, F. B. (1975). Monarquia Lusitana - Parte segunda. Lisboa: INCM.

Cardoso, J. (2002). Agiológio Lusitano. Porto: Edição Fac similada.

Cardozo, M. (1967). O Testamento de Mumadona, fundadora do Mosteiro e Castelo de Guimarães na segunda metade do século X. Revista de Guimarães. Sociedade Martins Sarmento, pp. 376-391.

Cardozo, M. (1972). Seria Mumadona tia de Ramiro II, Rei de Leão? Revista de Guimarães, pp. 376-391.

Correia, F. C. (2008). O Mosteiro de Santo Tirso, de 978 a 1588: A silhueta de uma entidade projectada no chão de uma história milenária. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.

Fernandes, A. d. (1984). Os primeiros documentos de Santa Maria de Salzeda (até à morte da fundadora): Comentários e defesa. Revista de Guimarães (94).

Fernandes, A. d. (2001). Portugal Primitivo Medievo. Arouca: Associação da Defesa do Património Arouquense.

Frez, A. I. (1992). La Sociedad Gallega en la Alta Edad Media. Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Científicas.

Fuente, M. J. (2009). Reinas medievales en los reinos hispánicos. Madrid: La Esfera de los Libros.

Gaio, F. (1938). Nobiliário de Famílias de Portugal. Braga.

Guimarães, J. A. (1995). Gaia e Vila Nova na Idade Média. Porto: Universidade Portucalense.

López, E. G. (1957). Grandeza y Decadencia del Reino de Galicia. Buenos Aires: Editorial Citania.

Mattoso, J. (1992). História de Portugal (Vol. I). Lisboa: Círculo de Leitores.

Mattoso, J. (2001). A Nobreza Medieval Portuguesa. Rio de Mouro: Círculo de Leitores.

Mattoso, J. (2002). O Monaquismo Ibérico e Cluny. Rio de Mouro: Círculo de Leitores.

Menéndez Pidal, R. (1982). Historia de España (Vol. Tomo IV). Madrid: Espasa Calpe.

Mêrea, P. (2006). Estudos de História de Portugal. Lisboa: IN-CM.

Oliveira, P. M. (1967). Ovar na Idade Média. Ovar: Câmara Municipal de Ovar.

Piel, J., & Mattoso, J. (1980). Portugaliae Monumenta Historica. Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa.

Risco, F. M. (1789). España Sagrada (Vol. Tomo XXXVII). Madrid: Oficinas de Blas Roman.

Sáez, E. (1947). Los ascendientes de San Rosendo, notas para el estudio de la monarquia astur-leonesa durante los siglos IX y X. Hispania, p. 40.

Tomás, F. L. (1974). Beneditina Lusitana - Tomo I. Lisboa: INCM.

Por: Carlos Marques

 

Outras Notícias

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.