Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-05-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 24-12-2012

    SECÇÃO: Painel partidário


    PS/Valongo brinca com coisas sérias

    O Plano / Orçamento para 2013 foi aprovado na reunião de hoje do Executivo Municipal, com seis votos favoráveis, uma abstenção e um voto contra.

    Trata-se de um Plano e Orçamento realista e rigoroso, pela primeira vez sem empolamentos de receitas e obviamente sem qualquer despesa de índole eleitoralista. A diminuição das despesas permitiu, por exemplo, fixar a taxa de IMI em 0.36%, ou seja, uma das mais baixas do Grande Porto. Este esforço de redução da despesa espelha-se, também na diminuição de mais de 25% do número de funcionários.

    É assim, que uma Câmara que há pouco tempo alguns diziam em ruptura financeira e em risco de não ter dinheiro para salários, tem hoje uma situação de pagar a menos de 90 dias.

    O PS/Valongo, através do único vereador presente, ao votar contra, mostrou uma grande irresponsabilidade e incapacidade para ser uma alternativa à presidência da câmara municipal de Valongo. A posição do PS mereceu a crítica de toda a restante câmara que acusou o líder municipal do PS/Valongo de ser incoerente, irresponsável e de neste

    momento colocar as próximas eleições autárquicas à frente dos Valonguenses.

    O problema do PS/Valongo é que viabilizou um plano de saneamento financeiro que previa um financiamento de cerca de 25 milhões de euros e que custaria mais 18 milhões de euros que aquilo que a Câmara Municipal na presidência de João Paulo Baltazar conseguiu agora com o recurso ao Plano de Apoio à Economia Local comprometendo-se apenas com 16,4 milhões de euros.

    É altamente irresponsável o facto do PS/Valongo em reunião de preparação do orçamento municipal não ter feito qualquer tipo de sugestão ou crítica e na reunião de hoje apenas questionar o desenho e a forma do documento.

    Trata-se do modo de actuar do líder concelhio daquela estrutura que parece já não convencer ninguém, nem mesmo os eleitos locais. O PS/Valongo começou o mandato com 3 vereadores, que entretanto passaram a dois e hoje na reunião só estava presente um. E assim se mostra a capacidade e disponibilidade daqueles que se dizem alternativa.

    Valongo e os valonguenses merecem mais respeito.

    COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA DO PSD DE VALONGO

    Valongo, 18 de dezembro de 2012

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.