Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 20-12-2007

    SECÇÃO: Saúde


    Osteoporose, a solução passa pela atitude

    Muitas são as vezes em que ouvimos falar da osteoporose como um factor limitante… No entanto, a osteoporose deve ser encarada como um compromisso com o seu corpo, de forma a diminuir os efeitos prejudiciais e ao mesmo tempo melhorar o seu bem-estar com uma vida activa.

    A osteoporose é uma doença que está directamente relacionada com o envelhecimento e que atinge os ossos diminuindo a massa óssea (desmineralização). Isto provoca uma maior fragilidade. A diminuição da robustez dos ossos é inversamente proporcional à probabilidade de fracturas, ou seja, quanto maior o índice de osteoporose maior o risco de fracturas.

    Esta patologia atinge maioritariamente as mulheres: cerca de uma em cada três mulheres e um em cada doze homens apresentam complicações provenientes da osteoporose.

    Os nossos ossos são compostos por uma proteína específica chamada osteóide, que se organiza em dois tipos de osso: cortical e esponjoso. Estes dois tipos têm funções diferentes mas ambos são afectados pela osteoporose. Durante a nossa vida as células dos ossos vão sendo renovadas, isto é, as mais velhas morrem e são substituídas por células mais novas. Este fenómeno é muito lento e imperceptível para cada um de nós, começando logo na infância e evoluindo até ao pico máximo de mineralização, por volta da 3ª década. Até esta altura, excepto em algumas situações, existe um equilíbrio entre a remoção e a criação de células nos ossos. No entanto, no início da 4ª década este equilíbrio começa a ceder, existindo uma maior remoção em função de uma menor criação de células. Contudo, este fenómeno pode ser consideravelmente diminuído através de tratamentos eficazes.

    Alguns dos factores que aumentam o risco da osteoporose são referenciados no quadro seguinte:

    Factores de risco para as mulheres

    • Falta de estrogénio (hormona produzida pela mulher) causada por:

    - Menopausa precoce (antes dos 45 anos);

    - Remoção dos ovários (antes dos 45 anos);

    - Ausência de menstruação por períodos de 6 meses ou mais (excepto gestação).

    Factores de risco para os homens

    • Baixos níveis de testosterona (hormona produzida pelos homens)

    Factores de risco

    para ambos os sexos

    • Uso de alguns medicamentos que inibem a fixação do cálcio;

    • História familiar;

    • Síndrome de Cushing;

    • Problemas hepáticos ou de tiróide;

    • Imobilidade, sedentarismos;

    • Consumo exagerado de álcool e tabaco;

    • Alimentação deficiente (dieta pobre);

    • Peso inferior ao normal.

    Esta doença apresenta uma instalação silenciosa e evolui sem causar dores. Em muitas situações só é detectada depois da ocorrência de uma fractura pois surgem, obviamente as dores. Após a fractura existem duas respostas que podem ser dadas pelo organismo à dor causada: a diminuição à medida que o osso se consolida (reconstrói) ou a manutenção de uma dor residual, mesmo depois do osso estar consolidado (reconstruído). As fracturas ocorrem sobretudo na zona da anca, na coluna e no punho.

    O diagnóstico da osteoporose é feito pelo seu médico assistente com base na sua história clínica e em exames complementares (densitometria óssea; Rx; etc.).

    As medidas preventivas têm sido, cada vez mais, divulgadas por todos os profissionais de saúde pois são a melhor forma de prevenir a doença e melhorar todo o nosso bem-estar. Tais medidas são:

    • Dietas baseadas em lacticínios, verduras, cereais, grãos e peixe;

    • Medicação de reposição hormonal (prescrita pelo seu médico);

    • Exercício físico orientado e baseado nos princípios básicos da consolidação óssea (sob orientação de fisioterapeutas);

    • Exposição à luz solar;

    O tratamento desta patologia passa por terapêutica medicamentosa e por programas activos de consolidação óssea (exercícios monitorizados). Os resultados destes tratamentos são normalmente muito favoráveis e reflectem-se em curto/médio prazo.

    Como nota final, referimos que a osteoporose é perfeitamente controlável, tem retrocesso e pode ser evitável. A Prevenção é sempre o melhor caminho a seguir. Um pouco de atenção na sua dieta, um pouco de exercício físico e um grande sorriso para a vida evitam esta e muitas outras lesões do seu esqueleto.

    Por: Rui Marques *

    * Fisioterapeuta na Cerma Ermesinde.

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.