Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2019
Jornal Online

Zona de Debate

29-03-2008 11:00
Autor: Silvano Campini
Re: Culpa dos acidentes de transito Imprimir Responder
É totalmente impossivel convencer todo o universo dos condutores de automóveis a andar devagar ou ao menos a se manter em velocidade coerente com o local, as leis,e as condições de trânsito, mas em compensação seria bem fácil obrigar alguns poucos fabricantes a adotar mecanismos limitadores de velocidade adequados a cada país, se não o fazem é somente porque ninguém os obriga e nem são responsabilizados pelos acidentes. Modernamente seria até tecnologicamente possível regular a velocidade automáticamente através de sensores como os que efetuam a cobrança/marcação do pedágio.
Quase 99% dos condutores são responsaveis e dificilmente vão se envolver em algum acidente, a não ser devido a problemas de sono ou de saúde(infarto/derrame/desmaio. O problema são os 1 ou 2% de irresponsáveis para os quais o único limite é o assoalho do veiculo que não deixa acelerar mais,é por causa desses, que não temos como eliminar, que os carros deveriam ter limitadores automaticos de velocidade que os impedissem de se matar e de nos matar.


31-03-2008 17:03
Autor: Alexandre Da Silva Teixeira
Re: Culpa dos acidentes de transito Responder
Voltamos ao erro. E de novo não é de interpretação - é de confusão.

Começa o Sr. no início a dizer que afinal "o civismo não impera" e acaba a culpar os pões. Quase fico a pensar que o que pretende é culpar alguém, à viva força.

Lembro que o tópico aberto pretendia demonstrar que a culpa dos acidentes estava no facto, de não haver legislação que limite os construtores de fabricarem carros capazes de circularem a mais de 120Km/h. ESTE ERA O TOPICO.
E para isso lembro que, não são os carros os únicos que estão sobredimensionados. São também as AE. É realmente verdade que os veículos são projectados para andarem em todo o mundo, e não só em PT. Mas é um erro, julgar que os limites de velocidade são assim tão diferentes (previno desde ja para não cair na tentação de mencionar o caso Alemão, onde a velocidade de 130Km/h é a RECOMENDADA). Na Europa a variação de velocidade máxima em AE vai dos 100Km/h no Chipre (que se o visitar perceberá porquê) e os 130Km em paises como a França, Roménia ou o Luxemburgo.
Mas estamos a ser redutores nesta análise. A maior parte dos acidentes ocorre nas cidades, e mais, perto das área de trabalho/residência dos condutores onde existe a tendência de nas zonas que lhe são familiares reduzirem a atenção, por subida do níveis de familiaridade do percurso.
Se me estivesse a dizer, que achava que dentro de zonas urbanas (digo zonas urbanas e não na Circunvalação), a velocidade deveria ser ainda mais baixa - eu teria mais disponibilidade para aceitar esse facto, do que vir propor legislação para impedir os construtores de criarem veículos capazes de viajarem acima dos 120Km/h onde as vias o permitem.

Agora, para que não julgue que discordo de tudo o que aqui veio escreveu, quero dizer-lhe que concordo consigo numa coisa. Vê-se por ai absolutos desrespeitos por parte dos peões. Desde os que soberbamente se "atiram" para as passadeiras, até aqueles que no seu jogging se julgam titulares das vias de rodagem.

Um forte abraço, AST

21-03-2008 13:19
Autor: Silvano Campini
Culpa dos acidentes de transito Responder
A culpa nos acidentes de trânsito é quase sempre atribuida aos condutores. As leis não punem os fabricantes que vendem equipamento pouco seguro e que não se enquadram nas limitações legais.
Os veiculos muitas vezes se acidentam porque podem correr mais que o permitido. Ex:qualquer carro vai a 150Km/h ou mais mas o límite é 120
Seria possivel fazer carros muito mais seguros, mas não os fazem porque as leis não os obrigam.

25-03-2008 15:31
Autor: Alexandre Da Silva Teixeira
Re: Culpa dos acidentes de transito Responder
Absolutamente errado. Absolutamente errado é a única coisa que posso dizer sobre o que tema foi escrito.

Quem o diz, mostra o mais claro desconhecimento de noções sobre Desenvolvimento e Concepção em Engenharia.

Doutro modo, estaria familiarizado com a noção de Coeficiente de Segurança (em muitos meios Académicos também conhecido por coeficiente de ignorância), que impõem que qualquer equipamento esteja dimensionado a operar sempre acima das suas condições de serviço.

O que é que isso quer dizer?
Quer dizer por exemplo, que quando se instala uma ponte rolante de 25Ton, em bom rigor, essa ponte poderá içar pesos maiores sem cair (ou em linguagem técnica, sem entrar em falência).

O mesmo acontece com os automóveis. Se estão dimensionados para se deslocarem a 150Km/h, podem fazê-lo a maiores velocidades, sem ainda terem ultrapassado os limites mecânico, aerodinâmicos e fisicos (em certas condições).

Acontece, que aqui surge o seu segundo erro, nenhum automóvel está dimensionado para circular a 120Km/h.

Os valores vão muito acima desses.

Agora, concordo consigo, na parte em que diz que a culpa dos acidentes está no excesso de velocidade, e acrescento, na falta de destreza dos condutores.

Todos que tivemos instrução e nos ensinaram a estacionar e fazer inversões. Pergunto é, a quantos lhes foi ensinado, a conduzir a 120Km/h em Vias rápidas ou a controlar um veiculo em falta de aderência.

O problema não está na falta de legislação (essa por vezes até peca por excesso), o problema reside na falta do bom senso/perícia.

Deixe-mo-nos de querer controlar tudo e todos, com obrigações legais que ninguem cumpre por serem tão ridiculas ou desactualizadas.
Como esta coisa de em 2008 o limite de velocidade nas Auto-estradas ser o mesmo do inicio da construção da A1.

Os veiculos de hoje em dia não são nem os mesmo nem a mesma tecnologia do final do século passado. Aí sim, viajar a 120Km/h era uma verdadeira aventura.

27-03-2008 16:22
Autor: Cláudio Moreira
Re: Culpa dos acidentes de transito Responder
O Sr. Alex deve ser Engenheiro.... mas mesmo assim apresenta um défice de interpretação. (deve ter tirado o curso na mesma escola do outro... ;)
O que está aqui em causa é que o civismo não impera e a falta de respeito pela liberdade dos outros é total.
Obviamente que os carros hoje são dimensionados para se deslocarem a velocidades mais elevadas do que as legalmente aceites, mas também é verdade que a sua produção não se destina apenas a Portugal e como é sabido, os limites de velocidade variam de país para país.

Para que algo de desloque é necessário energia e essa só está disponível quando se carrega no acelerador. Não por ter 200cv no motor que podem andar a mais de 120Km/h nas AE mas... a malta facilita.

Não concordo inteiramente que a culpa dos acidentes é sempre dos condutores, pois o que se verifica é que os peões também são muito irresponsáveis, mesmo quando passam sobre as passadeiras.

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.