Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2019
Jornal Online

Zona de Debate

09-12-2006 04:09
Autor: Manuel Aresta
30 Anos de Poder Democrático Imprimir Responder
No passado dia 8 de Dezembro desloquei-me ao Fórum de Ermesinde para visitar a exposição sobre “30 anos de poder democrático em Valongo”. Devo dizer que tinha alguma curiosidade, e esperava encontrar uma exposição que retratasse de algum modo o que foram estes 30 anos de gestão autárquica, nas suas várias vertentes, e abordasse um pouco o desenvolvimento do concelho e o funcionamento dos órgãos autárquicos, bem como dos instrumentos de apoio ao seu funcionamento criados e desenvolvidos nas últimas décadas. Uma exposição que servisse aos cidadãos para compreender a importância e o funcionamento das instituições democráticas que regem os destinos da sua terra. Um exposição resultante de um trabalho sério de compilação e selecção de documentação da própria autarquia e de outras fontes, que ilustrasse o trabalho desenvolvido pelos órgãos de gestão do concelho ao longo deste período.
Porém, o que encontrei não é mais do que um biombo com pouco mais de uma dúzia de painéis, metade dos quais preenchidos com organigramas dos elementos que fizeram parte do executivo camarário e dos restantes órgãos autárquicos. A outra metade dos painéis, dedicada a resumir o enquadramento político dos órgãos autárquicos antes e depois do 25 de Abril, de um modo algo confuso e simplista (que não simplificado) mais próprio de uma exposição concebida por e para alunos de uma escola secundária.
Para completar o conjunto, à entrada da “exposição” situa-se um busto da república frente a uma imagem de Oliveira Salazar (algo que me foi explicado por alguém presente como a pretensão de expressar a ideia de um contraste, não sei muito bem em relação a quê ou de que maneira), e a um dos lados do biombo uma série de pequenas vitrinas de madeira contendo cada uma um documento, na sua maioria os livros de actas dos órgãos autárquicos, abertos numa página supostamente relevante.
Uma das características mais marcantes da política cultural da CMV nos últimos anos tem sido a realização de iniciativas sem qualquer preocupação por assegurar a qualidade das mesmas. Entre festivais de comida rápida e as actuações de artistas estrangeiros em plena decadência, e dos quais a maioria dos habitantes do concelho pouco ouviu falar, até à organização de exposições como a que agora está patente no Fórum de Ermesinde. Neste caso, a situação é ainda mais penosa ao tratar-se de uma exposição cujo tema está directamente relacionado com a gestão autárquica, e que simplesmente não proporciona ao visitante qualquer tipo de informação, e não tem o mais mínimo interesse, qualquer que seja o ângulo por onde se veja.
Não ouvi da boca de nenhum dos presentes nenhum tipo de comentário crítico, ou alguma observação relativa ao conteúdo da exposição. É pena que as pessoas se limitem a encolher os ombros, sem expressarem qualquer tipo de opinião, mais preocupadas talvez em agradar a esta ou àquela figura. Como também é pena que os autarcas que temos tenham tão pouca consideração e tão escasso conhecimento da realidade política e social do seu concelho, tão pouca memória histórica, e tão manifesto desinteresse pela cidadania, que democraticamente os elegeu.

15-12-2006 22:58
Autor: ruca
Re: 30 Anos de Poder Democrático Responder
Nestes 30 anos só o caetano deixa muito que falar

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.