Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2019
Jornal Online

Zona de Debate

18-02-2007 19:30
Autor: nuno
Re: Re: Ao PCP Imprimir Responder
quem é este Caetano?!?

09-11-2006 17:00
Autor: Antão Gramei
Re: Ao PCP Responder
Frases-de-vento

Concordo plenamente com a opinião do Sr. que escreveu esse artigo. Não tinha lido a crónica que o Sr. Caetano escreveu e, por isso, rebusquei as edições de “a voz de Ermesinde” espalhadas pelas minhas gavetas no sentido de ler o feito. Realmente, estudando a sua politica, nota-se que o Sr. Caetano tem mente curta ou então é “indiferente”… não me levem a mal mas “odeio os indiferentes”…
Este senhor, cuja personalidade não conheço muito bem, tem andado na politica desinteressado, alheio, apático, imparcial, neutral, desprendido, negligente, desequilibrado, com um misto de autoritário e liberal… não será tudo isso sinónimo de indiferente!?
Pois bem, a sua “indiferença tem actuado poderosamente na história” da freguesia de Ermesinde. “Actua passivamente, mas actua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode contar;”… Vejam bem que este senhor passa por cima da sua camarada Sónia Sousa, fala de assuntos que não são da sua competência e anda certamente baralhado de ideias…
Este senhor “é aquilo com que não se pode contar; é aquilo que confunde os programas”. É, digamos, bipolar.
Sou um leitor atento da “voz de Ermesinde” e realmente acho esquisito as suas constantes aparições. Aprendeu com a Nossa Senhora. Mas estou curioso para saber com que objectivo… cheira-me a esturro, deve ser “do fosso que circunda a velha cidade” de Ermesinde. Há contas que eu gostaria que me contassem.
Quem conta contas conta sempre com alguma conta… ou não será? Penso que será!
E para isso “destrói os planos”.
A vida é apenas uma espera pela altura certa…
Pois bem, Sr. Caetano, não me leve a mal por estar a criticá-lo, mas na política tem de se aprender a viver e a lidar com a crítica e você não fica imune a isso. Eu até costumo dizer que quem anda na política são uns bombos de festa. Sabe porquê? Porque são os políticos que lixam as contas públicas. E, como tal, tenho todo o direito de vos julgar. Andam os portugueses a pagar impostos, a descontar e demais para os políticos andarem a brincar com o €… e a gozar. Por isso é que muita gentinha que foi pobre fica rica de um dia para outro.
E não me venham com a conversa que há pessoas sérias na política. Na politica aprendeu-se a viver com o não cumprimento da palavra e a praticá-lo no dia a dia.
Veja bem, meu caro camarada, aqueles que são do concelho, faça uma pesquisa sobre aqueles que foram presidentes da junta de freguesias e câmara nos últimos 25 anos dentro do concelho de Valongo. E não só, também é preciso contabilizar tesoureiros, secretários, assembleias, etc.… desde Alfena, Campo, Ermesinde, Valongo e Sobrado. Sabe o que aconteceu?! Eram pobres e ficaram ricos. O Sr. sabe tão bem como eu.
Não me envergonho de dizer: São uns LADRÕES! Mas todos pelo País fora, não é só no nosso concelho.
Sabe porque é que não me envergonho de o dizer, porque trabalho à 12 anos como administrativo de uma fábrica, enriqueci com o € que apenas ganhei, pago impostos, faço descontos e não roubei. Pago casa, alimentação, agua, luz, tenho uma filha de 6 anos para criar. Ainda assim o € que ganho não chega, vale-me a ajuda de meus pais. E não tenho carro nem telemóvel. Vocês não sabem o que isso é. Os políticos do nosso concelho e pelo país fora têm casas próprias sabe-se lá como (e boas casas), ou então vivem em casas alugadas e esperam pela altura certa para “aplicá-lo” senão a suspeita é maior. É isso, as “manhas” da política. E nós, portugueses, somos apanhados pela “manha” da política.
Mais uma vez peço desculpa por todas as palavras ditas até agora, mas estou certo que me compreendem.
O primeiro passo para a mudança é simplesmente mudar.
E por isso vêm os senhores comunistas, ps, psd e be com um discurso de sobrolho carregado que apelam a um maior grau de exigência e ambição do bom povo português e não passam de uns reaccionários ditatoriais.
Sr. Caetano deixe a medalha de mérito e a comemoração do dia da cidade de Ermesinde, deixe-se de fantochadas, de festinhas, de discursos comovedores e trabalhe para o povo. Deixe-se de materialismos, de circos. O povo quer é ver trabalho, esperança e ser mais ambicioso. E não andar a ver o seu € mal empregue em palhaçadas como a medalha de mérito e a comemoração do dia da cidade.
Você contribuiu para tudo isso de uma forma directa ou indirecta porque fez parte do grupo de políticos que governou a nossa freguesia. Não se pode responsabilizar apenas um ou outro mas sim TODOS. E agora deixe-se de coisinhas que só servem de enfeite natalício para se empolarem.
Para que serve a medalha de mérito senão para as pessoas se tornarem mais altivas?
Para que serve a comemoração do dia da cidade senão para andar a gastar o € mal gasto em festarolas, bobos, bebidas e risos bêbados e onde nem sequer o povo da cidade tem direito ao lugar a não ser os senhores?
Melhorem a qualidade das ruas, das sinalizações, da estação, do rio Leça, as nossas escolas, dos jardins públicos etc. e deixem-se de palhaçadas. Não ensinem aos vossos filhos este tipo de actuações. Abram os olhos e lutem por um mundo melhor porque são pagos é para isso.
Mas de certeza que não é com os actuais políticos do nosso concelho e freguesias que chegamos lá. É preciso renovar e meter gente séria. Porque, um mau filho nunca poderá ser um bom político. Por isso vamos dar outra educação aos nossos filhos e não deixemos que sejam assim.
Tenho uma solução para renovar os políticos do nosso concelho: desobstruir e limpar as juntas e câmara; dar inicio ao processo de despoluição das juntas e câmaras e de todas as linhas partidárias que nelas confluem; assegurar o funcionamento correcto e eficiente da junta e câmara; por fim, realizar uma campanha de sensibilização e educação ambiental para a desvalorização dos políticos do nosso concelho.
Por isso, odeio os indiferentes…


Escrito por: Antão Gramei, fundador do Partido Contra Indiferentes e importante teórico do marco sismo do século XXI. Preso a estudar personalidades fascistas da política em 2006, Gramei morreu 3 dias depois de ter sido libertado desta crónica, após 5 minutos em frente ao computador.

14-01-2007 17:35
Autor: Antão Gramei
ao Caetano Responder
Se até agora este senhor não desmentiu nada é porque é tudo verdade... Eu pelo menos nunca duvidei,este senhor nunca me convenceu! É como o teatro rivoli dito pelas palavras do Caetano: "Não é uma mercadoria", pois é sr.Caetano as suas palavras e seus actos são como as mercadorias...vendem-se!

15-01-2007 12:06
Autor: Ramos da Cunha
Re: Re: Ao PCP Responder
Pois é, a mercadoria que o Sr. Caetano vende foi, mais uma vez, negociada com o PSD - basta acompanhar o que o PCP vai fazer na próxima reunião da Assembleia Municipal, no dia 19 de Janeiro.
Aposto que o PCP vai votar favoravelmente (na primeira reunião votou contra) o Orçamento do PSD/CDS para 2007.
Qual o preço? Cá por mim apostava em mais um empregozito ou um lugarzito na Câmara ou em qualquer uma das Empresas Municipais existentes ou a criar...
Vai uma apostinha?

18-01-2007 14:18
Autor: ao Caetano
Re: Re: Ao PCP Responder
oh sr.caetano uma coisa é a casa do povo outra é as considerações uns pelos outros...

24-01-2007 09:43
Autor: Ao Caetano
Re: Re: Ao PCP Responder
Este senhor julga que a Câmara Municipal é um recreio duma escola primária

12-02-2007 14:32
Autor: anónimo
Re: Re: Ao PCP Responder
Eu sinceramente adoro ver as ideias que o Sr.Caetano apoia, aqui vão elas:

- “O Governo de direita tudo tem feito para tornar a vida cada vez mais difícil a quem trabalha. O aumento galopante do custo de vida, aliado à desvalorização dos salários, o crescimento acelerado do desemprego, que já atinge cerca de meio milhão de portugueses, a repressão nas empresas, numa clara antecipação arbitrária do próprio pacote laboral, o ataque à Segurança Social e o agravamento da injustiça fiscal, são alguns dos aspectos principais de um quadro inquietante que a todos ameaça.”
Pois é, mas este senhor já se esqueceu que quando foi Presidente da mesa da assembleia da junta de freguesia de Ermesinde, ou melhor, foi Presidente devido à coligaçãozita que teve com a direita PSD/Ermesinde. Este senhor já se esqueceu de muitas coisas… ou já se esqueceu dos votos a favor da direita?!

- “Mas dificuldade não significa impossibilidade.”
Pois não, mas este senhor já se torna impossível de entender e aturar. Tais já foram as suas múltiplas coligações e personalidades que já ninguém o entende…

- “Mas como não se pode avançar sempre, sem criar espaços de reflexão e análise, para trocar ideias e partilhar opiniões…”
este senhor, que como já o disse, é um “multiopina”, nunca tem a mesma ideia ou ideal, muda conforme lhe convém…avança sem qualquer tipo de satisfação ou explicação a dar.

- “A hipótese de que tal redobrada atenção poderia ficar a dever-se à extensa carga de problemas da ETAR, que necessitaria de ser assim mais frequentemente vigiada…”
Realmente o senhor é muito engraçado, a sua ironia afia o bigode a qualquer um… eu penso que uma redobrada atenção ao Sr.Caetano será indispensável porque as actuações ilícitas e problemáticas que coloca e intervém são dignas de serem observadas e censuradas. Basta abrir os olhos para ver. Não são dignas de qualquer tipo de respeito…o que lhe vale, meu caro camarada, é o facto de você ser muito pequeno. A pulga é um animalzinho muito pequenino, muito minúsculo, mas garanto-lhe que é muito muito muito incomodativo… só por isso, por ser pequena e muito incomodativa é que é fácil de se dar por ela…

- “O Rivoli é património municipal não é nenhuma mercadoria…”
Foi uma frase infeliz dita pelo Sr.Caetano… pois é meu caro senhor mas esquece-se que tratou a junta como uma mercadoria… ou será preciso ser mais explícito?!
Esquece-se que o seu voto é como uma mercadoria, paga em troca de algo. Não nos quer dizer o que é? O meu caro camarada saberá responder melhor do que eu.

Meu caro camarada, você almeja riqueza, poder, fama, mas você finge que trabalha pela humanidade. Qual foi a sua contribuição até aos dias de hoje em favor da humanidade que seja digna de respeito? Finge que gosta do povo, das pessoas, dos carenciados, etc mas garanto que o Sr. é o primeiro a deixá-los morrer. Pode, com os seus trunfos, atrai-los, mas quando os tem na mão mata e esfola. Come e ri-se no fim.
Mostra-se descontente com a justiça e comete injustiças, com a segurança social e aproveita-se dela, com a falta de trabalho e andam os sindicatos a “negociar” apoiando as politicas adoptadas ou a adoptar…

Vejam bem, leiam bem esta frase:
Este senhor mostra-se descontente com a política e anda metido nela. Mostra-se descontente com as tomadas de posições e decisões e vota nelas. Mostra-se descontente com o contributo dos políticos e das políticas adoptadas e está incluído no mesmo pacote. Critica para depois apoiar. Apoia para depois criticar.

Dá à luz um filho e depois diz:”ele não é meu”. Alimenta-o e depois diz: “não o alimentei”. Dá-lhe vida e depois diz: “não contribui para tal”. Mas quando o “filho” está às portas da morte este senhor diz: “morre”

Sr.Caetano a mim nunca me enganou e a alerto para isso. Lembra-me os vendedores do porta a porta. Quando se abre a porta o vendedor diz tudo e mais alguma coisa, faz tudo o que está ao seu alcance, as garantias são absolutas e a qualidade é da melhor; mas quando se fecha a porta e o vendedor tem o seu objectivo garantido, ele vira-se, endireita as golas, esfrega as mãos e diz: “já cá canta mais um”. Mais adiante, toca a outra porta e aplica a mesma carinha de sonso.

É um personagem instável, tempestuoso, ciclotímico e amnésico.

O PCP é um partido pequeno mas muito grande. Os que estão no poder fazem coligações com os mais pequenos e nunca com aqueles que detêm a mesma capacidade. Já por isso é que o PCP é lembrado e usado, por ser pequeno. Meu caro camarada não se julgue altivo, aceite a realidade, você é de facto pequeno, muito pequeno mas de facto muito prestável para ser usado nem que seja por um mero voto. Depois disso a sua pequenez nunca mais será lembrada. É assim na politica, tudo se descarta.

Perdoe-me, Sr.Caetano, as minhas criticas. Você não fica imune às criticas. Está a aquecer o lugar na Assembleia Municipal apenas porque uma pequena percentagem do povo do concelho votou em si. Como tal, é um lugar publico e de pura representação das pessoas do concelho. O senhor está a representar a população e não vossemecê, o senhor está a trabalhar para a população e não para si e acima de tudo está a representar a população e não a representar a(s) sua(s) “personagen(s)”.
Por isso, reservo-me ao direito de o criticar, reservo-me ao direito de o julgar e reservo-me ao direito de o vigiar. Tudo isto porque eu pago para você estar aí.
Mas se for preciso, reservo-me ao direito de o tirar daí nas próximas eleições…ou antes!

24-11-2006 22:46
Autor: jesus
Re: Re: Ao PCP Responder
O sr.caetano é um exímio contador de histórias e muito irónico... é como uma mercadoria

16-01-2007 16:35
Autor: ola
Re: Re: Ao PCP Responder
será que na câmara aceitam srs sindicalistas

20-01-2007 14:46
Autor: Ramos da Cunha
Re: Re: Ao PCP Responder
Esqueci-me completamente da reunião da Assembleia Municipal. Alguém me pode informar o que se passou?

01-02-2007 15:30
Autor: conetico
ao Sr.Caetano Responder
Caros amigos, companheiros, copinchas e camaradas:

Venho por este meio, apontar uma exposição sobre as doutrinas Caetanistas.
Que imagens provocam aos olhos das pessoas quando vêem o Caetano a detestar o cobrador mas respeita-o, detesta o serviço militar mas assiste às suas homenagens, detesta os parlamentares a autárquicos mas cumpre escrupulosamente o seu dever eleitoral e faz parte dele?
Para este bom cidadão, vive por um lado as desordens e não compreendem que as revoluções fazem parte do passado, por outro lado é um utopista, quer a liberdade como se fosse possível viver sem autoridade e sem governo, quer a igualdade como se fosse possível conceber uma sociedade sem ricos nem pobres, quer a fraternidade como se não fosse preciso primeiramente pensar nestas coisas. Oh, qual padre do actual comunismo lançando o anátema nos concílios de Bizâncio a propósito do sexo dos anjos.

Os comunistas e sindicalistas – mistura perigosa, danger! – representam os interesses do proletariado esfarrapado e da pequena burguesia, reclamam a destruição maciça do Estado. Ao mesmo tempo, são da alta burguesia e apoiam, votam e aplicam os interesses dos patrões. Ao mesmo tempo, apoiam, votam e aplicam as ideias e decisões do Estado ou neste caso, autárquicos.

Sr.Caetano se está descontente salte para o lado de fora e lute?
Ou vai continuar a protestar à camaleão que nunca se sabe qual a sua face?

Infelizmente a classe explorada e oprimida não se pode libertar da classe que a explora e a oprime. Por isso, o Sr.Caetano, é o explorado e oprimido ao mesmo tempo que explora e oprime. É o coveiro e ao mesmo tempo cava a sua própria sepultura.
O Sr.Caetano frequentemente parece que se esquece, perde-se, mas no interior (e exterior) está sempre em oposição com ele mesmo.

Este senhor exige a aplicação da Lei e da Constituição quando na verdade não crê na Constituição nem em Lei alguma, critica-a. Nem a melhor Constituição o poderá satisfazer.

Este senhor quer a propriedade colectiva, quer que todas as riquezas sejam propriedade colectiva. Oh meu amigo Caetano não estamos no recreio duma escola primária… Por isso luta pela supressão do Estado politico e legal. Ao mesmo tempo faz parte do “aparelho” que faz a supressão e as leis. Diz que a autarquia age mal quando na verdade VOTA nestas decisões.
Para este camarada o colectivismo é a base do individuo e quer que a propriedade privada seja também dele próprio.
Caro camarada, digo-lhe uma coisa: “ o meu dinheiro, a minha casa, o meu carro ou quaisquer outros bens que me sejam próprios NUNCA serão seus. Trabalhe para tal. Não espere que seja eu a trabalhar para si. Isto não é nenhum recreio. Ou melhor, desculpem porque estou errado, todo o concelho é o recreio para estes senhores que se julgam donos dele. Temos sem duvida alguma que contrariar estes tipos de atitudes porque parecem meninos da primária. Não podemos ter para nós próprios o que pertence ao povo. Você é que tem de trabalhar para mim porque a Assembleia Municipal é um cargo que defende os interesses do concelho e da sua população. Se está na Assembleia Municipal foi porque alguém votou em si. Eu não fui. Cumpra o seu dever porque as pessoas do concelho de Valongo pagam para você estar aí. As pessoas não pagam para os senhores andarem com ciclotímias. As pessoas não pagam para o senhor andar com utopias. As pessoas não pagam para andar por aí com ironias grotescas e baratas. As pessoas não pagam para o senhor ir em busca de um lugar que lhe seja propício. As pessoas não pagam para se rechear. As pessoas não pagam para negociar mas para exigir. As pessoas não pagam para andar com indecisões à espera que um melhor contrato lhe seja oferecido.”
Os políticos não gostam de ouvir as verdades porque o povo os mimou. Mas está na altura de deixarem de ser mimalhos e meninos de recreio. Está na altura do povo virar a cara ao que está errado.
Por isso, Sr. Caetano, utilizo a sua frase, você é património municipal não é nenhuma mercadoria. Embora não goste da palavra património para si, de património não tem nada, utilizo-a na mesma. A população do concelho votou em si para agir como tal e não para agir como se fosse mercadoria.
Por isso, Sr.Caetano, utilizo a sua frase, você precisa de uma “redobrada atenção que poderia ficar a dever-se à extensa carga de problemas e de ciclotimias, que necessita de ser assim mais frequentemente vigiado”… e julgado!
Se você tem o direito de andar com ironias e opinar sobre algo, o meu direito sobre si é a dobrar. É a dobrar porque está a representar a população. É a dobrar porque tem de ser julgado pelas suas atitudes e decisões. É a dobrar porque me reservo ao direito de o vigiar, tal como o resto da população do concelho de Valongo tem esse direito.

P.S. – Quero deixar claro que não entenda isso como uma violação da dignidade, honra e bom-nome. Nada disso. Apenas reservo-me ao direito de julgar um cargo que é público. Tal como você o fez em relação ao Rivoli, tal como o fez em relação à ETAR na “Voz de Ermesinde”, tal como o fez em relação ao dia da cidade de Ermesinde na “Voz de Ermesinde”, etc. Como tal, lembro-lhe que a qualquer momento pode accionar o Direito de Resposta para que o publico possa ouvir a(s) sua(s) versões. Exercer o direito de resposta é um direito que lhe assiste. Assim se faz politica, ouvindo as duas partes…

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.