Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2018
Jornal Online
Últimas

10-06-2018 10:34
REUNIÃO PÚBLICA DO EXECUTIVO DA JUNTA DE FREGUESIA DE ERMESINDE
Árvores, manutenção de espaços verdes e mau estado do pavimento dominaram as atenções
Questões relacionadas com a poda e o porte de árvores, a extirpação de ervas e manutenção dos espaços ajardinados, bem como o mau estado do piso em alguns locais da cidade estiveram no centro das atenções na reunião pública do Executivo da Junta de Freguesia de Ermesinde (JFE) da noite de 6 de junho passado.

Temas que resultaram de alertas dados no período de intervenção dos membros do Executivo, tendo o primeiro deles sido dado por André Teixeira, que deu conta da existência de um conjunto de árvores localizadas na Rua do Juncal que está a tirar a visibilidade, durante o período noturno, a quem circula no local – devido ao elevado porte e crescimento acelerado das mesmas. Árvores essas que dado o seu elevado porte estão já a levantar (destruir) a calçada da zona onde estão plantadas, segundo alerta deste elemento do Executivo. André Teixeira, acrescentou ainda que no mesmo local existem árvores que estão já a invadir as varandas dos moradores daquela zona. Ainda sobre este tema, André Teixeira deu ainda conta de uma situação semelhante na Rua D. António Barroso, em que algumas árvores do Seminário do Bom Pastor estão a galgar para a zona pública – passeios – e a dificultar a passagem dos transeuntes.

Relativamente à Rua do Juncal, o presidente da JFE, João Morgado, referiu que a plantação de árvores de grande porte como plátanos e cedros numa zona (habitacional) como aquela, não havia sido uma decisão bem pensada – por quem a idealizou –, ressalvando no entanto que logo que tenha início a época da poda das árvores, o que acontecerá em outubro, a Rua do Juncal será o primeiro local a ser intervencionado.

Quanto às árvores do Seminário do Bom Pastor, o presidente da Junta disse que essa era uma chamada de atenção que iria ser feita aos responsáveis daquela instituição. Aliás, João Morgado acrescentou que a JFE tem recebido inúmeras queixas de paroquianos não só relativamente às árvores – que “invadem” o espaço público – como também à manutenção dos espaços verdes da freguesia, ressalvando que a extirpação de ervas e manutenção/limpeza dos espaços ajardinados só ainda não foi feita porque as condições climatéricas não o permitiram, mas assim que o tempo seco surja a empresa que foi contratada – e recentemente aprovada pelo Tribunal de Contas, segundo informação do autarca no início desta sessão – para esta tarefa – e para efetuar também a varredura das ruas – irá entrar em ação. No que concerne à poda das árvores, foi dito que esta tarefa terá de ser realizada entre os meses de outubro e março, por indicação de uma técnica especializada nesta matéria que se encontra ao serviço da Junta.

Ainda no período de intervenções dos membros do Executivo, Bruno Ascensão endereçou os parabéns, acrescidos de uma nota de reconhecimento público, à equipa de andebol de juvenis masculinos do CPN, pela recente subida à 1.ª Divisão Nacional.

REQUALIFICAÇÃO DO MERCADO
E ZONA ENVOLVENTE

Por sua vez, Juliana Silva fez saber que numa recente visita à Feira de Ermesinde verificou que em tempo de chuva se formam poças de águas e de lama junto das bancas (das feirantes), o que impede, em muitos casos, as pessoas de aproximarem dessas bancas para verem de perto o que lá se encontra à venda. Nesse sentido, o elemento do Executivo sugeriu a possibilidade de colocar brita para tapar os buracos e minimizar o problema.

João Morgado frisou que «é uma verdade que a pavimentação da cidade está má», lembrando que a Câmara Municipal de Valongo (CMV) tem cabimentada no seu orçamento uma verba de três milhões de euros para repavimentar arruamentos de todo o concelho, verba essa que segundo o autarca poderá ser insuficiente para resolver os problemas que têm surgido na freguesia com o pavimento, mas «vamos esperar que com bom senso se vão fazendo aqui algumas reparações», disse o presidente da Junta.

Relativamente à feira, o autarca lembrou que cerca de oito dias antes da realização desta sessão pública, membros afetos à Assembleia Municipal de Valongo (AMV) e ao Executivo da CMV haviam realizado uma visita a vários pontos de Ermesinde, tendo um deles sido o mercado e zona envolvente – onde é realizada a feira. Na sequência desta visita, João Morgado informaria que é pretensão da Câmara fazer uma intervenção no local, não só na requalificação do espaço da feira – o que para ser funcional terá de levar a uma alteração de propriedade de alguns terrenos envolventes, segundo disse –, mas também do edifício do mercado, que em várias zonas se encontra em muito mau estado de conservação. Salientando que se trata de uma obra de requalificação que envolve valores avultados, e como tal toda ela «terá de ser muito bem pensada», o presidente da Junta formulou o desejo de que «seria agradável que todo aquele espaço fosse requalificado ao mesmo tempo».

Com uma Ordem de Trabalhos curta, sem assuntos suscetíveis de grandes discussões, e de rápida concretização, a sessão fica ainda marcada por algumas informações prestadas pelo presidente, entre outras, a de que as lombas colocadas numa das faixas de rodagem da Rua Aldeia dos Lavradores – em frente à Loja do Cidadão – irão ser prolongadas (até à faixa de rodagem contrária) no sentido de evitar que os automobilistas continuem a contornar as lombas através de manobras perigosas.

Por:MB

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.