Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-06-2005

    SECÇÃO: Desporto


    Foto Manuel Valdrez
    Foto Manuel Valdrez
    BASQUETEBOL – JÚNIORES FEMININOS

    CPN/Graveleau é campeão nacional

    Nos dias 27, 28 e 29 de Maio disputou-se em Santarém a fase final do Campeonato Nacional de Júniores, que contou com a presença das seguintes equipas: Algés (1º classificado do Zonal Sul, sem derrotas), Santarém (2º classificado do Zonal Sul), Coimbrões (2º classificado do Zonal Norte) e CPN (1º classificado do Zonal Norte, sem derrotas).

    A equipa ermesindense partia para esta fase final com algumas esperanças de poder vencer, mas sabendo que se previa uma fase final muito equilibrada, dado o valor das equipas intervenientes, especialmente CPN, Algés e Santarém, que seriam os três candidatos mais previsíveis ao título. Mas isto não se veio a concretizar, porque o CPN/Graveleau não deu qualquer chance aos seus adversários, como demonstram os resultados alcançados: vitória por 73-35 sobre o Coimbrões, por 63-45 sobre o Algés e por 63-44 sobre o Santarém.

    No 1º dia o CPN jogou contra o Coimbrões e desde muito cedo deu para perceber que o jogo ia ser fácil para a equipa de Ermesinde, como demonstrava o resultado ao intervalo (35-14). Na segunda parte o treinador do CPN aproveitou para rodar mais a equipa e fazer descansar as jogadoras mais utilizadas, mas mesmo assim o resultado foi para números muito desequilibrados, mesmo tendo a equipa utilizado as quatro jovens cadetes que se integraram na equipa e que acabaram por dar muito boa conta do recado. No segundo jogo do dia, entre o Algés e o Santarém esperava-se um jogo equilibrado e emotivo, como veio a acontecer. Foi um jogo com muita qualidade de ambas as equipas. A vitória sorriu ao Santarém, por 63-58, o que deixou a equipa do CPN e os seus adeptos bastante apreensivos para as duas outras jornadas.

    SEGUNDA JORNADA

    No segundo dia da competição o CPN defrontou o Algés que, para ter hipótese de ganhar ainda o campeonato teria obrigatoriamente que vencer. Mas a nossa equipa do CPN esteve muito determinada na defesa e muito concentrada no ataque, pondo o resultado logo ao intervalo num parcial favorável de 34-20, muito por graças da defesa e da elevada percentagem de triplos, tendo marcado só na 1º parte seis triplos (Rita três, Célia dois e Cuca um).

    Na segunda parte o recital continuou com Joana Lopes a distribuir e Célia a facturar, com mais dois triplos, Paula Freitas com um e Cuca com outro, num total de 10 triplos, o que pôs o resultado no fim do 3º período em números muito mais favoráveis do que aquilo que se estava à espera (54-30).

    O último período foi para gerir o resultado e dar descanso a algumas atletas, ficando o resultado final em 63-45.

    No segundo jogo do dia, o Santarém ganhou ao Coimbrões por números expressivos (87-59).

    Para o último dia só duas equipas teriam possibilidades de se sagrarem campeãs, ou o CPN ou o Santarém que, a jogar em casa, reunia o maior favoritismo. No outro jogo, que atribuía o 3º e 4º lugares, o Algés venceu o Coimbrões por 86-78, conquistando o bronze no campeonato.

    A FINALÍSSIMA

    Estava a chegar o grande momento que todos esperavam desde o início da época: dia 29 Maio às 11h30 os nervos à flor da pele, as unhas a roer. A bola era atirada ao ar e ganha o ressalto o Santarém, que no primeiro ataque faz os seu dois primeiros pontos. A resposta do CPN foi demolidora. Célia Simões realiza um lançamento triplo. E novo ataque com Célia Simões de novo a conseguir o triplo. E logo depois Cuca a fazer o terceiro. E Rita Gonçalves, finalmente, a pôr a cabeça em água ao treinador do Santarém, fazendo o quarto triplo sucessivo e pondo em poucos minutos a vantagem do CPN nuns fantásticos 12-2.

    Compreensivelmente nervoso, o treinador do Santarém pediu um desconto de tempo para tentar parar a onda de triplos, realizando alterações na defesa. Tempo para o treinador do CPN impor alguma calma, não deixando que a euforia levasse ao descido. Acabou entretanto o 1º período com um parcial de 16-8 a favor da equipa de Ermesinde. No segundo período, com Paula Freitas, com toda a sua garra e determinação, a lutar na tabela, ganhando ressaltos atrás de ressaltos, e Joana Lopes a distribuir jogo, atraindo a ela a equipa do Santarém e colocando a bola sempre na jogadora livre, o CPN arrancou mais três bombas seguidas de três pontos, todos por Cuca, pondo o Santarém em maus lençóis e acabando a 1ª parte com o espantoso resultado de 33-16 a favor do CPN.

    Na segunda parte o Santarém tentou reagir. No 3º período a sua reacção levou-o a recuperar inicialmente para 13 pontos de diferença, mas o CPN/Graveleau

    conseguiu manter a distância, apesar da quarta falta da Rita Gonçalves no fim do 3º período, entrando para o seu lugar, ao princípio um pouco nervosa, a atleta Marta Correia, mais inexperiente nestas andanças, mas que tinha estado muito bem nos dois outros jogos. Com o CPN a retomar o fôlego e a reagir por sua vez à tentativa de recuperação do Santarém, muito concentradas as atletas da equipa de Ermesinde acabaram por fazer mais uns triplos e o resultado foi-se dilatando até ao fim. Cuca com cinco triplos e Célia com quatro, foram particularmente arrasadoras. Assim, com a equipa a realizar mais 11 triplos, ficou o resultado final em 63-44.

    PARABÉNS!

    De destacar a grande superioridade da equipa do CPN/Graveleau: melhor defesa, mais equipa, e demolidora nos triplos. Uma equipa muito completa, com cinco jogadoras a um nível altíssimo: Célia Simões, a atacar e a defender – a alma do CPN – a jogar sempre no limite, sendo um exemplo a seguir para as mais novas, e uma jogadora que poderá ser importante na Liga, como aliás já foi este ano; Cuca, mortífera como lança e inteligente a jogar; Paula, uma trabalhadora nata – outro exemplo a seguir para as mais novas, nunca virando a cara à luta; Joana, com créditos mais do que firmados, indiscutível na equipa da Liga e determinante muitas vezes – não sabe jogar mal, muita classe em todo o que faz, jogadora completa (lança, passa a bola como ninguém, dribla); Rita, jogadora que teve uma progressão muito grande, grande espírito de sacrifício – a prova disso foi jogar bastante lesionada, não treinando há mais de um mês e arriscando a sua própria lesão, grande campeã nos momentos certos, ganhando sempre o seu ressalto e marcando mais os seus pontos.

    A todas os parabéns! Como souberam estar com um espírito de equipa fantástico! Para isso muito contribuíram os seccionistas Alexandre Santana e Renato Horta, que não deixaram que faltasse nada a esta equipa, campeã 2004/2005.

    E finalmente, como os últimos são os primeiros, os parabéns ao treinador adjunto Manuel Romão e àquele que é o grande obreiro do trabalho que tem vindo a fazer o CPN no basquetebol feminino português – um trabalho único e exemplar, de alto a baixo, consistente e sistemático, praticamente sem paralelo. Parabéns a Agostinho Pinto, treinador principal, à sua paixão pelo basquetebol e pelo CPN.

    Doze magníficas que ganharam mais este título para o CPN (o 4º nos últimos 4 anos: 2001/2 Cadetes, no Barreiro; 2002/3 Júniores, em Albufeira; 2003/4 Séniores na Anadia; 2004/5 Júniores, em Santarém):

    Carla Nunes (Cuca), capitã; Célia Simões, capitã, Paula Freitas, Joana Lopes, Rita Gonçalves, Marli Cunha, Marta Correia, Patrícia Monteiro, Inês Cardoso, Vanessa Soares, Maria João, Verónica Sousa.

    EQUIPA TÉCNICA – Treinador: Agostinho Pinto. Treinador Adjunto: Manuel Romão. Seccionistas: Alexandre Santana e Renato Horta.

    Por: AVE

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.