Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-10-2016

    SECÇÃO: Desporto


    FUTEBOL

    Ermesinde 1936: Arranque de altos e baixos

    Tem sido de altos e baixos o arranque da principal equipa do Ermesinde 1936 na temporada de 2016/17. Um empate, duas vitórias seguidas e uma derrota, é este o caminho trilhado pelos verde-e-brancos nas primeiras quatro jornadas do Campeonato Distrital da Divisão de Honra. Com estes resultados o emblema da nossa freguesia ocupa o 6º lugar da tabela classificativa, com sete pontos, a somente três da dupla de comandantes composta por Nun' Álvares e Avintes. E foi precisamente ante esta última equipa que o Ermesinde 1936 averbou a primeira derrota (1-2) do campeonato, num jogo realizado em Sonhos no passado dia 23. Seguidamente apresentamos os resumos dos dois primeiros jogos caseiros (sendo que um deles foi em casa emprestada, devido a castigo) do emblema ermesindista na época que dá os primeiros passos.

    Foto MANUEL VALDREZ
    Foto MANUEL VALDREZ
    Não correu nada bem para o Ermesinde 1936 o primeiro jogo da temporada ocorrido (no dia 23) no Estádio de Sonhos, já que o resultando final ditou a primeira derrota neste arranque de época. O mau estado do terreno aliado à forte intempérie que se fez sentir fez com que esta partida (na imagem) diante do Avintes, a contar para a 4ª jornada, fosse um espetáculo com pouco interesse, pautado, sobretudo, por faltas frequentes e quezílias entre os atletas. O primeiro quarto de hora decorreu sobre o signo do equilíbrio com as duas equipas a "conhecerem-se". Aos 15 minutos, porém, Igor remata bem e forte, mas Humberto com algumas dificuldades consegue defender para a frente, sendo que na recarga a bola perdeu-se muito por cima da baliza. Neste período de ascendência da equipa da casa o capitão Fajó, aos 20 minutos, ainda introduziu a bola na baliza adversária, mas o árbitro considerou que o fez em falta. Finalmente, aos 22 minutos, houve golo. Carlos chamado a converter um livre direto, ainda de muito longe, remata forte e certeiro, Alex ainda tenta cabecear a bola, mas não lhe toca e Humberto não conseguiu defender. Mas o Ermesinde 1936 não teve grande tempo para festejar, porque o Avintes chegaria ao empate nove minutos mais tarde, na sequência de um canto, em que a bola chegou à cabeça de Renato para depois entrar na baliza à guarda de Miguel Matos. Estava reposto o empate, resultado com que se chegaria ao intervalo.

    No segundo tempo, o jogo perdeu qualidade e o Ermesinde 1936 não esteve tão bem como no primeiro tempo, acabando por sofrer um segundo golo, na concretização de uma jogada de contra-ataque bem conduzida e concluída por Hugo.

    Depois os atletas de Avintes fizeram muito anti-jogo, ao caírem sistematicamente para reivindicar faltas e dessa forma "queimar" tempo. Destas quezílias resultaria a expulsão do guardião ermesindense, por acumulação de cartões amarelos, numa altura que a equipa da casa já tinha feito todas as substituições, tendo por isso jogando na posição de guarda-redes, nos últimos cinco minutos, o defesa Paparradas.

    Neste jogo o Ermesinde 1936 alinhou com: Miguel Matos; Pacheco (Cláudio, 84), Paparradas, Xico e Carlos (Gustavo, 84); Fajó (Coentrão, 66), Poeira e Igor; Nuno Almeida (Diogo Almeida, 84), Alex (Nando, 66) e Quim. Treinador: Jorge Lopes. LUÍS DIAS

    PRIMEIRA VIRÓRIA

    OBTIDA EM CASA

    EMPRESTADA

    Na antecâmara da receção ao Avintes os ermesindistas traziam no bolso duas vitórias consecutivas. A última delas ocorrida em Lousada, no dia 16 de outubro, altura em que os pupilos de Jorge Lopes bateram por 3-0 o Aparecida, com golos de Carlos, Gustavo e Tiago Leite (na própria baliza).

    Na semana anterior, a turma verde-e-branca atuou na condição de visitada em Arcozelo, por interdição do Estádio de Sonhos, diante do Leça do Balio, em partida da 2ª jornada. O Ermesinde 1936 dominou claramente o jogo do princípio ao fim. E se no termo dos primeiros 45 minutos o resultado não lhe era mais favorável, foi porque enviou duas bolas ao poste da baliza de Mota. A primeira aconteceu quando estavam decorridos 16 minutos, com o esférico a embater violentamente a meia altura no poste esquerdo, tendo Nuno Almeida marcado golo na recarga, embora o árbitro o tenha anulado por alegado fora de jogo do dianteiro ermesindista. Aos 27 minutos, contudo, Nuno Almeida, no centro da pequena área, deu a melhor sequência a um pontapé de canto batendo Mota, que não teve qualquer hipótese de defesa. Logo a seguir, no minuto 29, a bola volta a ser pontapeada de encontro ao mesmo poste.

    No segundo tempo o jogo foi mais equilibrado, mas mesmo assim a equipa visitada marcou de novo, desta vez por intermédio de Coentrão. O resultado podia até ser mais dilatado, dado que Nando esteve em tarde não, ao falhar por duas vezes a oportunidade para avolumar o marcador. A vitória por 2-0 do Ermesinde 1936 neste jogo não oferece qualquer contestação.

    Os ermesindistas alinharam com: Miguel Matos; Pacheco, Patarradas, Chico e Carlos; Gustavo (Quim, 58), Fajó e Coentrão (Diogo Loureiro, 83); Nuno Almeida (Sousa, 83), Poeira e Alex (Nando, 58). Treinador: Jorge Lopes.

    No dia de 2 outubro, o Ermesinde 1936 abriu o Campeonato Distrital da Divisão de Honra 2016/17 com um empate a uma bola no reduto do Folgosa da Maia. Paparradas foi o autor do golo verde-e-branco nesse encontro. MAD

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.