Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 15-12-2018
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-04-2018

    SECÇÃO: Destaque


    Ministro da Educação esteve em Ermesinde para ver de perto as «sonhadas e desejadas» obras de requalificação da escola secundária

    O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, visitou no passado dia 24 de abril as obras de requalificação que decorrem desde outubro último na Escola Secundária de Ermesinde (ESE). O governante salientou a importância de uma obra «sonhada e desejada há mais de 30 anos», cuja conclusão da 1ª fase está agendada para novembro. Apesar do facto de a ambicionada e urgente obra ser hoje realidade, Tiago Brandão Rodrigues foi recebido em Ermesinde com protestos por parte dos alunos do estabelecimento escolar, os quais empunhavam cartazes onde se liam frases como "Queremos uma escola por inteiro e uma obra decente", ou "Obras da 2ª fase são urgentes". Também elementos afetos à Associação de Pais da ESE marcaram presença, tendo entregue uma carta ao Ministro onde criticavam o facto de a autarquia ter "desviado" 315 mil euros do montante global - mais de três milhões de euros - destinado à requalificação da secundária ermesindense para a requalificação de outra escola do concelho, no caso a Escola Secundária de Valongo.

    Fotos ALBERTO BLANQUET
    Fotos ALBERTO BLANQUET
    Acompanhado por diversos autarcas locais, onde se destacavam os presidentes da Câmara Municipal de Valongo (CMV) e da Junta de Freguesia de Ermesinde, repetivamente, José Manuel Ribeiro e João Morgado, bem como por dirigentes educativos, entre outros, Álvaro Pereira, Diretor do Agrupamento de Escolas de Ermesinde, o Ministro da Educação inteirou-se ao pormenor do andamento da 1ª fase das obras de requalificação da ESE. Fase esta que arrancou em outubro passado, sendo que o investimento global assenta em mais de três milhões de euros, verba essa comparticipada em 85 por cento pelos fundos comunitários e os restantes 15 por cento pela autarquia valonguense (7,5 por cento) e pelo Governo (outros 7,5 por cento). Esta 1ª fase contempla intervenções nos blocos A, B e C, bem como na biblioteca, no bloco dos serviços administrativos e no pavilhão desportivo.

    No final da visita, Tiago Brandão Rodrigues prestou declarações à comunicação social, tendo começado por lembrar que o Governo fez uma intervenção de 350 milhões de euros em mais de 300 escolas um pouco por todo o país numa colaboração estreita com as câmaras municipais, à semelhança do que aconteceu em Valongo, «que possibilita na ESE uma importante intervenção que era desejada e sonhada há mais de 30 anos. É importante termos mais de três milhões investidos numa escola que precisava desta intervenção e tem aqui nesta 1ª fase da obra um grande salto em termos qualitativos para que o seu projeto pedagógico se possa concretizar em pleno», disse.

    foto
    Confrontado com os protestos com que foi recebido por parte de algumas dezenas de alunos da ESE, que empunhavam cartazes em que exigiam obras por inteiro, por outras palavras, a 2ª fase da obra, o Ministro da Educação assegurou que a escola vai ser por completo reabilitada. «Esta 1ª fase vai abranger uma intervenção profunda em mais de 85 por cento da escola e vai acautelar todas as patologias que existem no resto da escola. Estamos a preparar todas as condições para que essa 2ª fase se possa fazer», disse o governante. Apontou em seguida o mês de novembro como a data para a conclusão prevista desta 1ª fase da obra, ressalvando que «na reprogramação do Portugal 2020 é necessário ter em conta que existem mais necessidades nesta escola e aí começar a preparar a 2ª fase. Importante é também dizer que se esta 1ª fase não tivesse sido feita, se a Câmara de Valongo não tivesse generosamente acedido ao apelo do Governo para em conjunto avançarmos para esta obra, ficava inviabilizada uma 2ª fase de intervenção», rematou o Ministro. Conforme foi referido no início, a visita do Ministro à ESE foi aproveitada pela Associação de Pais da escola para entregar ao governante uma carta onde criticavam o facto de a autarquia ter «desviado» 315 mil euros do montante global destinado à requalificação da secundária ermesindense para a requalificação de outra escola do concelho, no caso a Escola Secundária de Valongo.

    Confrontado com estas declarações, o presidente da CMV disse que os 315 mil euros remanescentes da obra não podiam ser usados nesta escola.«Explicaram-nos que ou usávamos a verba que sobrava em outra escola ou ia para a reprogramação dos fundos. O que diriam as pessoas se o presidente da Câmara decidisse abdicar de 315 mil euros?», questionou o autarca. Sobre o uso da verba, José Manuel Ribeiro confirmou que será para a Escola Secundária de Valongo, referindo que «o concurso para a troca de cobertura já foi lançado e pedindo compreensão a todos os agentes educativos do concelho para estas opções», uma vez que, disse, «chove na escola».

    foto

    INAUGURAÇÃO DO

    CENTRO DE CIDADANIA DIGITAL

    A presença de Tiago Brandão Rodrigues em Ermesinde foi aproveitada pela Câmara Municipal de Valongo (CMV) para proceder à inauguração do Centro de Cidadania Digital (CCD), situado no Edifício Faria Sampaio. Trata-se de um espaço de inovação social aberto a toda a comunidade, inclusive aos jovens que já não estudam, mas também não trabalham. Está tecnologicamente equipado e preparado para receber todos os cidadãos que queiram participar de forma ativa na resolução de desafios relacionados com emprego; inclusão social e digital; democracia participativa, com a dinamização do concelho. Este projeto resulta de uma parceria da Câmara Municipal de Valongo com o CDI Portugal - ONG de inclusão social e inovação digital, que disponibilizará ferramentas digitais a todos os cidadãos, de forma gratuita, como meio para aproximar a comunidade da participação nas políticas públicas e na resolução de problemas identificados pelos mesmos. O Ministro da Educação frisou a importância da era digital em que vivemos no presente, não só para os mais novos como também para os cidadãos seniores, destacando igualmente que a existência de centros como este que aqui era inaugurado, tem como objetivo primário «construir cidadãos plenos . A cidadania é o princípio basilar de cada um de nós», sublinhou o governante.

    O presidente da CMV referiu-se a este novo espaço como um exemplo que ao agregar ideias de vários cidadãos poderá ter um importante impacto social. José Manuel Ribeiro disse ainda que este era o primeiro CCD a abrir no nosso concelho, sendo que o segundo será em Valongo.

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.